Estudo revela discrepâncias em remuneração média de professores no país

Mestres da educação básica podem ter salários de até R$ 4 mil de diferença. Professores de ensino particular é o que recebem menos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/06/2017 18:15 / atualizado em 21/06/2017 18:33

A remuneração média de professor da educação básica varia em até R$ 4 mil de acordo com a rede em que está inserida — federal, estadual, municipal; público ou privada. É o que revela estudo publicado nesta quarta-feira (21) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que levantou os dados de acordo com uma padronização da jornada de trabalho, 40h semanais, referentes a 2014. Docentes da rede federal têm o maior salário, média de R$ 7.767,94. Mesmo sendo 45 vezes maiores que a rede federal, a rede municipal paga metade deste valor,  R$ 3.116,35. A rede estadual paga um pouco a mais, cerca de R$ 3.476,42. O professor do ensino particular é o que ganha menos, R$ 2.599,33, bem abaixo da média do mestre de escola pública, R$ 3.335,06.



Os dados revelam, ainda, disparidades regionais e inter-regionais na remuneração de professores. Apesar das redes de ensino serem distintas, há casos de estados em que docentes trabalham 20 horas semanais e, mesmo assim, têm remuneração maior que professores com carga de 40 horas semanais, apesar de o MEC determinar um piso nacional.

Inep/Divulgação


Sobre o estudo
O levantamento foi feito a partir de um pareamento das bases de dados do Censo Escolar com a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho e da Previdência Social, e foi apresentado no “Seminário 10 Anos de Metodologia de Coleta de Dados Individualizada dos Censos Educacionais”, que celebra uma década do acompanhamento longitudinal de estudantes e professores. Foi essa metodologia que permitiu o cruzamento das bases.

O cruzamento levou a uma população de 2.080.619 professores, o que corresponde a 93,3% dos docentes da educação básica. A robustez dos dados fortalece o monitoramento e amplia os subsídios para condução das políticas educacionais dos diferentes níveis de governo.

A partir do cruzamento, a metodologia considerou a média das remunerações mensais informadas na Rais por esfera administrativa (empregador), referentes ao ano-base 2014 e devidas em cada mês trabalhado, pagas ou não, computados os valores considerados rendimentos do trabalho. Compõem a remuneração mensal informada na Rais: salários, ordenados, vencimentos, soldos, soldadas, honorários, vantagens, adicionais extraordinários, suplementações, representações, bonificações, gorjetas, gratificações, participações, produtividade, porcentagens, comissões e corretagens. O 13º não é incluído no cálculo.