Criança brasiliense ganha torneio de cubo mágico

Campeonato nacional ocorreu no mês passado, em Brasília

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/07/2017 13:53 / atualizado em 06/07/2017 19:54

O brasiliense Matheus Vieira, 10 anos, obteve o primeiro lugar no Campeonato Brasileiro de Cubo Mágico 2017, realizado em junho, totalizando a participação dele em seis campeonatos e a montagem de quatro tipos de cubos. 
 
 
 
Matheus, que “começou” a carreira com seis anos, ganhou o primeiro campeonato (Brasília Open) em 2014 na categoria da sua idade, com o cubo 3x3 (o tradicional), a média de tempo alcançada por ele foi de apenas 29 segundos, daí em diante, foi aprendendo a montar o objeto de diferentes tamanhos. Nas seis competições que participou, obteve a segunda melhor classificação em apenas uma. “Montar me ajuda muito na escola, principalmente em matemática”, afirma. O garoto pratica em casa, no período da noite, quando chega da escola: “Eu treino com meu pai de trinta minutos a uma hora por dia, e marcamos o tempo no aplicativo Nano timer pelo ipad ou celular”. 
 
Lanna Silveira/Esp. CB/D.A Press
 
Quem trouxe o esporte para dentro de casa foi o pai do Matheus, Valdinei Santos: “Eu havia feito uma operação na coluna e tinha que ficar de repouso. Então, comecei a montar o cubo mágico para me distrair. Um dia, quando estava voltando da fisioterapia, cheguei em casa e meu filho veio me mostrar que montou um lado do brinquedo sozinho”. Valdinei começou a estudar as sequências dos objetos para ensinar para o filho, que na época tinha apenas 6 anos. 
 
O cubista foi campeão nos eventos Brasília Open e Brasília Spring 2014 e 2015 respectivamente, e Rubik's Cube Brasília Open 2016. Nas horas vagas Matheus não foge dos quadradinhos: “Meu pai está me ensinando xadrez e gosto muito de jogar minecraft”.
 
Matheus vai competir em 15 de julho no tamanho 3x3. A competição será no salão de festas do edifício Champs Elisée na SQN 303 Bloco I. O campeonato começa às 9h e termina às 18h.
 
Os quebra-cabeças são montados a partir de sequências de algorítimos que indicam os lados de trocar as peças de lugar, girando no sentido horário e anti-horário, formando assim as cores do objeto. Existem diversos tipos de cubos, dentre eles: 2x2 (um lado tem 4 quadrados) , 3x3 (Rubik's Cube), 3x3x3 OH (com uma mão), 3x3x3 BLD (com os olhos vendados) , 3x3x3 (com os pés), 3x3 Múltiplos vendado, 4x4x4, 5x5x5, Pyraminx, Megaminx, Square-1 e Skewb. No momento do campeonato em que os participantes se inscreveram na modalidade de um cubo específico, é disponibilizada uma hora para observar o brinquedo e fazer anotações. No fim, o candidato deve entregar os cálculos anotados para os jurados. Quando estiver pronto, é entregue o objeto dentro de um balde, o participante retira o cubo do balde e tem cinco segundos para observar. Logo após, o tempo é cronometrado e o cubista começa a montar, pausando o tempo quando terminar.São marcados cinco tempos. Entre eles, é calculada uma média entre o melhor e o pior tempo, que ficam registradas no World Cube Association, que organiza competições de cubos mágicos em todo o mundo, apoiada por organizações regionais. Para saber mais, basta acessar o site da associação. 
 
 Curiosidades
 
— O cubo mágico, também chamado de cubo de Rubik, é um famoso brinquedo de plástico confeccionado em várias versões. O brinquedo foi inventado em 1974 pelo húngaro Ernö Rubik. O desafio proposto é resolver o quebra-cabeças tridimensional em menor tempo juntando todas as camadas em cores iguais.
 Ao todo, são disputadas 12 modalidades, desde as mais comuns como a versão 3x3x3, composta por 54 faces e 6 cores diferentes, com arestas de aproximadamente 5,5 cm e outras mais desafiadoras como as que os desafios são resolvidos com os pés, com apenas uma das mãos e, ainda, com os olhos vendados.
 O Campeonato de Cubo Mágico da Oficina do Estudante é o único realizado na cidade de Campinas e reconhecido pela Associação Mundial de Cubo Mágico (World Cube Association).
— Os resultados obtidos na competição farão parte do ranking nacional.
 Em 2014 a Oficina do Estudante bateu o recorde sul-americano de Cubo Mágico, com o jovem Gabriel Dechichi, que baixou eu próprio tempo, que era de 8.94 segundos, para 8.80 segundos.  
 
*Estagiária sob a supervisão de Ana Sá