Passe estudantil

Longa espera para obter a liberação do passe estudantil

Posto do DFTrans é procurado por alunos que buscam tirar a primeira ou a segunda via do cartão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/08/2017 16:18 / atualizado em 07/08/2017 19:07

Ed Alves
Quem chegou à Rodoviária do Plano Piloto de metrô nesta segunda-feira (7) encontrou uma longa fila que serpenteava por todo o saguão de acesso à Estação Central. São pais e estudantes na tentativa de obter a liberação do cartão do passe livre estudantil no posto do DFTrans (Transporte Urbano do Distrito Federal). Os usuários sabem que o problema não é de hoje.
 
“Eu fui uma das pessoas que ocuparam o DFTrans ano passado. A situação estava caótica àquela época. Nos últimos dois semestres, houve uma melhora no sistema, mas neste piorou”, declara Wanderson William, 24. Ele afirma que muitos estudantes ainda não tiveram o passe liberado, algo que deveria ocorrer automaticamente no início de cada semestre letivo. O estudante do curso de história da Universidade de Brasília (UnB) é morador de Santa Maria e precisa pegar três ônibus tanto para chegar à UnB quanto para voltar para casa, totalizando seis passagens diárias. Ele conta que não pode arcar com os preços do sistema de transporte público e que, sem o cartão, fica impossibilitado de embarcar no BRT. “Eles sempre dão a desculpa de que a instituição não mandou os documentos. A universidade, por sua vez, garante que enviou a lista dos alunos matriculados. Dessa forma, a gente fica perdido”, denuncia.
 
A estudante de enfermagem do Centro Universitário Iesb do câmpus Ceilândia Vastir de Oliveira Campos, 47 anos, ficou cerca de três horas e meia na espera para ser atendida: “Hoje, eu faltei aula para poder vir. O meu passe foi cancelado por causa de um erro do DFTrans: trocaram meu CPF com o do meu sobrinho”, relata. Dulcilene Cardoso,43, pretendia tirar a segunda via do cartão do filho de 15 anos, aluno do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 2 do Paranoá. A estudante do curso de serviço social da Universidade Paulista (Unip) disse que estava na na fila há mais de uma hora. “Essa fila é uma falta de respeito. Deixei de cuidar dos meus filhos, de marcar exames e até de comer”, alega.

DF-Trans
O diretor-geral do DFTrans, Léo Carlos Cruz, informou que as escolas privadas e as instituições federais têm até o quinto dia útil de cada mês para enviar para o órgão a lista de alunos matriculados. O prazo deste mês termina hoje, última data de volta às aulas do meio do ano. Dessa forma, os estudantes que não estão podendo usufruir do passe livre no momento é por conta de uma falha nesse envio: “a instituição pode não ter mandado todos os nomes em tempo hábil para o registro no nosso sistema”, disse. O diretor relata que houve treinamento com os profissionais responsáveis pela entrega da relação de alunos de vários estabelecimentos de ensino entre fevereiro e abril deste ano. Ele também alerta que os alunos que mudaram de local de ensino devem atualizar o cadastro, mesmo que a mudança tenha sido apenas de unidade da mesma instituição.

Em março de 2016, eram cerca 285 mil cartões ativos no DF e hoje são cerca de 195 mil. De acordo com Léo Carlos, a diminuição de 95 mil usuários do benefício foi por conta de melhorias na fiscalização do sistema, que identificou a existência de usuários que tinham acesso ao passe livre sem direito. A entrega dos cartões está sendo feita nos posto do DF-Trans da Rodoviária do Plano Piloto e da Galeria. “São previstas cerca de 2 mil entregas de cartões somente no posto da Rodoviária, de 1ª e 2ª vias entre esta segunda-feira (7) e quarta-feira (9). Na Galeria, serão aproximadamente 1.400 casos de reagendamento para aqueles que não foram pegar o passe no prazo estabelecido”, informa. Os estudantes da UnB tiveram o passe liberado desde a semana passada.
 
 
 
*Estagiário sob supervisão de Ana Sá