Alunos protestam contra violência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/08/2017 18:36

Carlos Vieira
O caminho de ida e volta até a escola é de insegurança para os estudantes do Centro Educacional nº 7 de Taguatinga Norte, na QNM 36/38. Uma das vítimas, de 17 anos, aluna do 3º ano do ensino médio, teve o celular roubado e foi espancada. Ela teve um dente quebrado, o maxilar deslocado e o tornozelo machucado.

O crime aconteceu na terça-feira. O pai da garota contou que a filha estava a menos de 200 metros da escola quando o criminoso a abordou de bicicleta. “Ele anunciou o assalto e olhou de cara feia para ela, porque o celular era muito simples. Então ele puxou a bolsa dela, que caiu no chão, gritando por socorro. Foi quando ele começou a agressão”, relatou. A vítima conta que ainda sente dores no tornozelo e em um dos dentes. Em protesto contra a violência, pais, alunos e professores participam, hoje, às 10h30, de uma caminhada pela paz.

De acordo com o vice-diretor do CED 7, Genovaldo Ximenes Aragão, os casos de assaltos na região da M Norte viraram rotina. Para evitar os crimes, os alunos são orientados a não portarem tênis ou celulares caros. Mesmo assim, ontem, um estudante foi ameaçado com uma faca e teve o celular roubado a caminho de casa. No semestre passado, um aluno foi agredido com coronhadas na cabeça e outro, que teve o tênis roubado, viu os calçados serem anunciados em uma rede social logo em seguida.

Em nota, a Polícia Militar informou que o roubo a pedestres em Taguatinga teve queda de quase 40% em relação ao mesmo período do ano anterior e que aborda suspeitos de forma sistemática.