Um olhar jovem sobre a telona

O 3º Festival de Filmes de Curta-Metragem das Escolas Públicas reúne 250 mi

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/09/2017 19:20

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A. Press
 
Um roteiro na cabeça, um celular (ou uma câmera) na mão e pouca experiência. Foi dessa forma que estudantes do ensino fundamental do Distrito Federal entraram na competição do 3º Festival de Filmes de Curta-Metragem das Escolas Públicas de Brasília. Orientados por professores, alunos de diversos estabelecimentos de ensino se arriscaram, muitos deles, pela primeira vez, no mundo do cinema. O evento ocorre durante o tradicional Festival de Cinema de Brasília e conta com a participação de 250 mil jovens e a produção de 163 filmes. Maquiagens, linguagem de videoclipe, jogos de câmera e até efeitos especiais arrancaram aplausos, gritos e risos na manhã de ontem.

A algazarra em frente ao Cine Brasília começou por volta das 9h20, com a chegada de diversos ônibus lotados de adolescentes. Estudantes, atrizes, atores, produtores, roteiristas e diretores, às vezes tudo em uma pessoa só. A estrutura montada para o 50º Festival de Cinema de Brasília impactava à primeira vista. Grupos de amigos faziam selfies com os celulares na réplica gigante da estatueta do evento ou caminhavam sorridentes no tapete vermelho, rumo à sala escura. Dos 163 curtas produzidos, uma comissão selecionou 30 para a competição na mais importante sala de cinema da capital.
 
Ana Rayssa/Esp. CB/D.A. Press
 
Em meio à massa juvenil, é seguro afirmar que nem todos compartilham o mesmo amor e admiração pelo cinema e, entre os que trabalharam nas produções, somente alguns poucos sonham com carreira nas telonas. Mas os que participaram diretamente nunca mais verão um filme com os mesmos olhos. Quem afirma é a estudante e diretora do curta Green Life, Maria Eduarda da Silva. Aos 14 anos e cursando o 9º ano no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 1 do Cruzeiro, a moradora da Estrutural conta que nunca se imaginou nessa função. “Foi uma experiência muito legal. Eu não tinha essa ligação com o cinema. Quando recebi a proposta, comecei a estudar takes, claquete, cena, roteiro técnico. Não é ‘apenas’ cinema. É uma arte que permite imaginar e mostrar aos outros o seu verdadeiro tamanho”, avalia. “Descobri um potencial e, talvez, uma carreira.”

Green Life conta a história de dois estudantes que se deparam com um espírito da natureza em uma área verde degradada. A dupla mobiliza amigos da escola para cuidar do local e plantar árvores. Questionados por colegas que reclamam não ter relação com o terreno, eles lembram que todos são responsáveis pelo que é público, o tema do 3ª Festival.

Montagem
Morador do Gama e estudante do 9º ano do CEF 4 do Gama, Leonardo Júnio de Melo Teles, 15 anos, diretor do curta Lembranças, recorreu à cultura pop japonesa para competir. A película conta a história de dois inimigos que lutam ao mesmo tempo em que se lembram de antigos embates. Um deles é inspirado no desenho animado Dragon Ball, e o outro, no anime Naruto. “Não nos preocupamos com o roteiro. Eles lutam a história inteira. Fizemos o filme com o objetivo de ganhar o prêmio de melhor montagem. Focamos na edição”, explica o jovem.

Diferentemente de Maria Eduarda, Leonardo não pensa em seguir carreira no cinema. Ele gosta de tecnologias da informação. Ainda assim, afirma que a produção o ajudou a perseguir seus objetivos. A solução de problemas, o trabalho em equipe e o conhecimento de informática foram fundamentais para a realização do projeto. “Todos os poderes usados pelos personagens foram feitos com efeitos especiais”, revela.

Criação
Suspense, drama e comédia. O estudante do CEF 1 do Cruzeiro Jhonata Michel Fernandes assistiu a filmes de diferentes estilos para compor o personagem que interpreta em Green Life. “Eu sempre quis atuar, mas nunca achei que fosse conseguir”, conta. Agora, ele quer seguir carreira na arte. “Antes do festival, eu só via cinema para diversão. Agora, é um interesse sério”, completa. A colega Marissa Wilges Martins, 12, atuou pelo segundo ano consecutivo. “Foram experiências incríveis. Amadureci. Conheci muita gente e aprendi muito. Antes, eu era uma pessoa muito tímida”, comemora.

Na visão de um dos integrantes da comissão organizadora do festival, Gleison Santos Cardoso, o evento traz “protagonismo” para a vida dos estudantes dos ensinos fundamental e médio. Ele destaca que os trabalhos do primeiro grupo estão voltados para uma introdução ao audiovisual, enquanto o segundo recebe um treinamento profissionalizante, mesmo os que não pretendem seguir carreira. “A importância é o protagonismo dos alunos, que produzem o filme e, depois, o apresentam na mais importante sala de cinema da cidade. Eles são protagonistas de suas próprias histórias”, destaca.

Ainda segundo Gleison, os estudantes têm a oportunidade de mostrar a cara da cidade onde vivem e levar um pouco da própria cultura e história para cada uma das obras apresentadas. “A execução dos filmes é dos próprios alunos. O professor apenas orienta. Esse processo pedagógico é o mais importante. Neste ano, trabalhamos com o tema “Se é público, eu também sou responsável” para chamar a atenção ao cuidado com o que é público. Incluindo a própria escola. O festival tem crescido a cada ano. Isso acontece porque os estudantes também têm crescido e se interessado”, ressalta. A mostra paralela termina hoje, com a apresentação dos filmes dos estudantes de ensino médio, com início às 9h.

Premiação

A premiação do 3º Festival de Filmes de Curta-Metragem das Escolas Públicas de Brasília será para as categorias de melhor filme, direção, roteiro, ator, atriz, fotografia, montagem e abordagem de tema. Além do troféu, os vencedores ganharão:

» Oficina de montagem de cinema para todas as categorias
» Oficina de vídeo Mobile para estudantes do ensino fundamental
» Bolsas de estudo para a categoria melhor filme nos ensinos fundamental e médio
» Bolsas de estudo para o ensino médio aos vencedores das categorias de melhor direção e melhor roteiro
» Seis bolsas de estudo no Iesb para alunos do ensino médio nas categorias melhor ator, melhor atriz, melhor diretor, melhor montagem, melhor roteirista e melhor fotografia
» Série de workshops da Secretaria de Educação sobre temas relacionados a cinema, documentário e audiovisual
» Mais informações no endereço: festfilmes.se.df.gov.br

Crianças também têm vez

Além do Festival de Cinema de Brasília e do 3º Festival de Filmes de Curta-Metragem das Escolas Públicas de Brasília, o evento reserva lugar para as crianças. O Festivalzinho exibe curtas-metragens em sessões matutinas. Os filmes exibidos foram colhidos em edições recentes da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. Haverá, ainda, dois longas-metragens. Hoje, a exibição ocorrerá às 9h, no Museu Nacional da República, e, amanhã, no mesmo horário, no Cine Brasília. Confira a programação no site do evento: www.festivaldebrasilia.com.br/festivalzinho.