Evento do Sesc e da Universidade Federal do Ceará debate inclusão escolar

Estado que tem se destacado com escolas públicas-modelo recebe colóquio internacional sobre diversidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/02/2018 12:44 / atualizado em 01/02/2018 16:45

Ana Paula Lisboa/ Esp. CB
 
Começou nesta quinta-feira (1), em Caucaia (CE), município localizado na região metropolitana de Fortaleza, o Colóquio Internacional Sesc-UFC. O tema do evento é "inclusão social e diversidade na educação". Organizado pelo Serviço Social do Comércio (Sesc), em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a colaboração da Université Paris Descartes, o encontro ocorre na colônia do Sesc no bairro de Iparana e reúne professores, pesquisadores e profissionais da educação de Brasil, França, Canadá, Suíça e Itália. Até esta sexta-feira (2), os presentes discutirão os desafios e os caminhos para promover inclusão no universo escolar. 


Lidar com a diversidade não é uma dificuldade exclusivamente brasileira, como destacou Iêda Pires, membro da comissão organizadora do evento. "É um desafio mundial. O Brasil tem uma visão errônea de que é o único país a ter problemas para promover inclusão na sala de aula. Mas, como os pesquisadores estrangeiros mostrarão aqui, é um problema global", comentou. Pós-doutora em educação pela Université de Montréal, ela trabalha com formulação de políticas públicas na Secretaria de Educação do Ceará e integra o grupo gestor da Rede da Primeira Infância do Ceará e do Fórum de Educação Infantil do Ceará. Para Iêda, a solução para a questão envolve capacitação de professores e políticas públicas.


"A nossa região é das mais carentes, pois vivemos num estado pobre, num país e num continente em desenvolvimento. O problema é em escala, pois o Brasil passa por uma situação complicada economicamente e moralmente", ponderou Fernando Pires, pós-doutor em economia pela Université Paris XIII e professor da UFC, durante a abertura do evento. "Esperamos que as discussões aqui indiquem saídas para mudar essa realidade", anunciou ele, que também integra a comissão organizadora do evento.


"É muito importante discutir diversidade e inclusão social na educação", disse Eric Plaisance, pós-doutor em sociologia, doutor em letras e educação, professor emérito da Université Paris Descartes e membro da comissão organizadora do colóquio. Maurício Cavalcante Filizola, presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), concordou, ressaltando que "a educação é a base de todo e qualquer desenvolvimento", além de transformar vidas e contribuir para formar uma sociedade mais justa, que são missões do sistema Fecomércio.

Ana Paula Lisboa/ Esp. CB

A primeira-dama do Ceará Onélia Santana observou que entre os parceiros que possibilitaram o lançamento do programa Mais Infância Ceará, em agosto de 2017, estavam o Sesc e a UFC. Onélia diz que tomou para si a missão de atuar pela defesa desse período da vida por acreditar na importância dele para ajudar a fazer do Brasil um país melhor. "Sou psicopedagoga e via a necessidade de políticas públicas para a infância, que é o momento primordial em que uma pessoa se forma." Ela ressaltou ainda que as crianças precisam receber amor e apoio não só das escolas, mas também das famílias.
 
Partes do evento são transmitidas ao vivo pelo link: http://www.sesc-ce.com.br/coloquio-internacional-ufc/#live-section
 
*A jornalista viajou a convite do Sesc-CE