SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Qualificação

Habilidade comprovada

Exames de certificação podem ajudar a garantir a vaga tão sonhada e também a estabilidade no emprego

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/11/2012 10:42 / atualizado em 05/11/2012 09:49

Publicação: 04/11/2012 04:00

Antônio Carlos Nascimento (acima) trabalha há 22 anos como mecânico de ar-condicionado e busca a certificação de eletricista. José Barbosa tem mais de 10 anos de experiência na área e fará a mesma prova: currículo valorizado (Janine Moraes/CB/D.A Press ) 

Antônio Carlos Nascimento (acima) trabalha há 22 anos como mecânico de ar-condicionado e busca a certificação de eletricista. José Barbosa tem mais de 10 anos de experiência na área e fará a mesma prova: currículo valorizado

 

 (Janine Moraes/CB/D.A Press) 

 

Passar anos em uma profissão ou ter aprendido o caminho das pedras na prática nem sempre é garantia de estabilidade no mercado de trabalho. Com o nível cada vez maior de exigência nas empresas, uma boa estratégia é fazer um exame de certificação. O teste reconhece formalmente as competências do trabalhador, independentemente da forma como tenham sido adquiridas — seja em cursos ou em experiências de trabalho. Para isso, é necessário fazer uma prova, prática ou teórica, elaborada de acordo com as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) ou do Perfil Profissional Nacional da ocupação.

No Distrito Federal, apenas o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) em Taguatinga é creditado pelo Inmetro para fazer as provas de certificação. Elas são oferecidas desde 2010 para profissionais de duas áreas: construção civil (pedreiros e eletricistas) e turismo. Durante a avaliação, eles realizam atividades práticas. Os pedreiros, por exemplo, constroem uma parede, e os eletricistas simulam a instalação de um quadro de energia. Já os exames de turismo são compostos por questões de múltipla escolha, estudo de casos, argumentação escrita e simulações de problemas, que verificam se os candidatos apresentam a habilidade prática e o conhecimento exigidos pela profissão.

Somente este ano, entre os 188 profissionais que fizeram o teste de certificação no Distrito Federal, 177 foram bem-sucedidos. Para Janes Berilli, coordenador do Centro de Exames para Certificação do Senai (CEC) a avaliação se tornou importante, pois as estratégias de qualidade passaram a requerer das empresas a certificação de produtos, serviços, sistemas e também de pessoas. Assim, a competência profissional ganha ainda mais importância para a inserção ou mesmo a manutenção de profissionais no mercado. “Esse processo de avaliação funciona como diagnóstico e também indicador, para mostrar aos profissionais o conteúdo que devem dominar e os aspectos em que precisam melhorar, seja uma questão de conhecimento, habilidade ou mesmo de atitude”, explica Berilli.

A certificação também pode contribuir para a competitividade empresarial. “Vivemos em um momento em que existe uma preocupação geral com a melhoria das competências internas das empresas e com o seu potencial estratégico para que possam se destacar no mercado, tendo em vista as demandas relacionadas a grandes eventos, como a Copa das Confederações, a Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas, previstos para os próximos anos”, conclui.

Diferencial
Antônio Carlos Nascimento, 44, será um dos candidatos ao teste que o Senai em Taguatinga vai aplicar este mês. Durante 22 anos de trabalho como mecânico de ar-condicionado, ele acabou aprendendo na prática habilidades que iam além da sua formação. “Comecei fazendo manutenção apenas em ar-condicionado, mas, com o tempo, e a ajuda de outras pessoas experientes, aprendi a fazer tudo que um eletricista faz. Consegui me manter empregado, mas, agora, preciso ter algo que comprove que sou profissional nessa área”, afirma o mecânico, que atua no setor de manutenção do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
Em busca de um diferencial no currículo, o eletricista José Barbosa, 39 anos, colega de trabalho de Antônio no tribunal, também vai fazer a prova para obter certificação. Ele trabalha nessa função há 12 anos e chegou a fazer um curso na área. Mesmo assim, acredita que a qualificação ajudará caso precise procurar outro emprego. “Trabalho mais com manutenção elétrica e, por isso, acabei deixando de lado algumas habilidades e conhecimentos que um eletricista precisa ter. Estou revendo algumas práticas para poder fazer a prova e ter um certificado reconhecido”, conta.

Para garantir a certificação, Antônio e José aproveitam a hora do almoço para acompanhar aulas práticas e teóricas, que fazem parte do programa Escola Solidária do TST. “Essa preparação é muito boa. É importante ter uma noção teórica e ver os desenhos das instalações, para poder fazer tudo de forma correta”, afirma Antônio.

Preparação
Ter a comprovação formal das competências é o primeiro passo para entrar ou se manter no mercado de trabalho. É o que afirma Rosângela Pedrosa, coach e também professora associada da Fundação Dom Cabral (FDC): “Pessoas mais maduras, que aprenderam o ofício na prática diária, sem uma formação escolar, e que conseguiram uma oportunidade de emprego há 10 anos, não teriam a mesma sorte hoje. As empresas exigem que os contratados comprovem que estão preparados para exercer determinado cargo. E a forma principal de se fazer isso é apresentar um certificado”.

Apesar de o documento possibilitar várias oportunidades, Rosângela aconselha a constante atualização do trabalhador. “Não basta se ancorar na certificação, é preciso apresentar um bom desempenho para fazer o certificado valer. Ele é o começo, mas o profissional deve investir sempre na carreira, com cursos e aprimoramento na área de atuação”, explica a professora.

Participe
Para fazer o exame, é preciso solicitar a inscrição pessoalmente no Centro de Exames para Certificação do Senai de Taguatinga (CEC), ou pelo site senai.br/certificacao. Assim que a solicitação é feita, a equipe do CEC entra em contato com o candidato para agendar a prova. O valor da inscrição varia entre R$ 50 e R$ 450, conforme a profissão. Para quem se inscrever até 12 de dezembro, o centro oferece vagas gratuitas para as seguintes ocupações:

Agente de viagens      12
Pedreiro      2
Motorista de táxi      31
Recepcionista em função polivalente (que atua em meios de hospedagem)      24
Recepcionista que atua em função especializada (meios de hospedagem)      8
Chefe de governança      11
Gerente de meios de hospedagem      4
Gerente de agência de viagens      6

Tags:

publicidade

publicidade