SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Brasileira participa de competição de tecnologia na China

Natália Hedlund Jardim vai apresentar seu projeto de reposição hídrica do corpo, em Hong Kong, entre os dias 18 e 24 de agosto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/07/2015 10:17 / atualizado em 30/07/2015 10:48

A jovem Natália Hedlund Jardim, 18 anos, é mais um motivo de orgulho para o Brasil. Estudante de eletrônica, ela ganhou o prêmio Killing de Tecnologia, aonde apresentou o projeto Monitor de Reposição Hídrica Corporal. Agora, ela se prepara para competir na 30ª China Adolescents Science & Technology Innovation Contest (Castic), que ocorre entre 18 e 24 de agosto, em Hong Kong, sendo a única representante brasileira.

Na competição chinesa, Natália irá apresentar seu monitor, que é um dispositivo portátil que monitora a temperatura do usuário através de um sensor posicionado na pele e, com base na variação da temperatura durante a atividade física, alerta o momento de fazer a reposição de água. “A ideia surgiu através de uma reportagem na televisão sobre como a desidratação afeta o desemprenho de atletas e é um risco para a saúde. Passei a pesquisar artigos e revistas, até que encontrei uma relação entre o aumento da temperatura corporal durante atividades físicas e o nível de desidratação do corpo”, explica ela. 

A invenção de Natália faz cálculos para determinar o momento certo para a hidratação, alertando o usuário através de um aviso sonoro. A quantidade de líquido que deve ser ingerida é exibida em um display. “Fiquei muito feliz quando recebi o prêmio, pois me dediquei muito a este trabalho, foram muitos meses de pesquisa e vários problemas técnicos surgiram, então receber esse reconhecimento foi algo muito gratificante.”

Se preparando para a viagem a Hong Kong, a estudante da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha se sente animada. “Vai ser muito legal poder conhecer uma nova cultura, um novo país e poder apresentar minha ideia e conhecer outros projetos. Estou me dedicando muito, desenvolvi um novo protótipo, aperfeiçoei a pesquisa e fiz novas simulações e testes”, comenta Natália.

Segundo ela, a participação em competições a motiva a sempre querer se superar e ela acredita que deveriam haver mais incentivos para a área. “ A iniciação científica e o desenvolvimento de pesquisa são ótimos meios de conhecer novos temas e aplicar conhecimentos já obtidos. Porém, muitas pessoas não tem esta oportunidade que tive. Quanto mais incentivo a ciência receber, mais jovens poderão descobrir o mundo das pesquisas e ter experiências maravilhosas.”

publicidade

publicidade