SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Educação profissional

Ministro profere aula inaugural em primeira de 23 unidades de instituto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/03/2016 19:47

Portal MEC

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, proferiu nesta segunda-feira, 7, a aula inaugural do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), inspirado no modelo dos institutos federais. Esta é a primeira de 23 unidades voltadas à formação profissional de jovens e à formação no ensino médio em tempo integral, a ser construídas naquele estado.

 

Segundo o governador do Maranhão, Flávio Dino, até o final de 2018 serão 23 Iema’s que funcionarão de maneira complementar à rede dos institutos federais. “A partir das vocações de cada uma delas, estamos criando escolas de referência, a primeira é esta em São Luís”, disse Dino. “Os Iema’s visam, de maneira geral, as cidades de porte médio, para criarmos a noção de rede, para fomentar as outras escolas para que em um tempo as escolas passem a ser de tempo integral”, explicou o governador.

 

De acordo com Mercadante, os institutos estaduais terão um papel importante para o desenvolvimento da educação no estado. “Eu vejo esta escola como uma semente do que deve ser a educação do futuro para o ensino médio. Eu tenho certeza que se nós tivermos educação integral para os jovens, combinando a formação básica com ensino técnico e profissional, nós vamos formar um profissional mais completo e um cidadãos com mais valores”, disse o ministro.

 

Conif – Mercadante também participou em São Luís da abertura da 61ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif). Mais cedo, Mercadante visitou o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão.

 

No encontro com o Conif, o ministro mencionou a necessidade de garantir, junto ao Congresso Nacional, os recursos orçamentários para cumprir o Plano Nacional de Educação (PNE). “Não adianta estabelecer metas ambiciosas e não garantir o financiamento. O que entra para a educação é o que o Congresso aprova no orçamento. O Congresso precisa se debruçar sobre o financiamento da educação”, disse.

 

Para Mercadante o PNE estabelece prioridades para educação brasileira e o primeiro desafio é colocar 600 mil crianças na escola. “Nossa prioridade é colocar todas as crianças de quatro e cinco anos na escola. Junto com esta meta está alfabetizar todas as crianças até os oito anos”, afirmou.

 

Para os institutos federais, o ministro destacou a importância de avançar na pesquisa. “Temos que olhar com mais carinho para os parques tecnológicos dos institutos e a integração com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Com isso você consegue um novo marco da ciência e tecnologia; consegue fortalecer os pesquisadores dos institutos; e gera tecnologia e forma profissionais qualificados, que é um grande interesse estratégico”, concluiu.

 

Antes da reunião com o Conif, o ministro participou da cerimônia de posse do novo secretário estadual de Educação do Maranhão, Felipe Camarão.

publicidade

publicidade