SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Pronatec

Presidenta anuncia a oferta de 2 milhões de vagas para cursos gratuitos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/03/2016 18:41

Portal MEC

 

“Investir em educação técnico-profissional é estratégico para o desenvolvimento do Brasil”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff durante o anuncio, nesta quarta-feira, 9, da oferta de 2 milhões de vagas para o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Das vagas ofertadas em 2016, estão previstas 372 mil em cursos técnicos e 1,627 milhão em cursos de qualificação profissional.

 

Para a presidenta, o Pronatec pavimenta um caminho de oportunidades para o país ultrapassar o momento e voltar a crescer. “Nós temos, nessas várias medidas, dois propósitos: ampliar a oportunidade e melhorar a qualidade. E a meta é só uma: garantir empregos melhores, com salários melhores; produção melhor e mais competitiva”, explicou Dilma.

 

Para possibilitar essa quantidade de matrículas e fortalecer o Pronatec, o MEC firmou uma parceria com as entidades do Sistema S. Participam desta parceria Senai, Senac, Senar, Senat e Sebrae. Outros ofertantes do programa são os institutos federais, as redes estaduais e municipais, além de instituições privadas.

 

Durante o anúncio, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, destacou a importância do Pronatec na qualificação profissional para o país superar o momento que está passando. “Mesmo em um quadro de crise, temos de eleger o que é prioridade. O Pronatec é prioridade, por isso estamos ampliando significativamente o número de vagas, inovando de várias formas, para fazer com mais competência um programa que é estratégico para enfrentar a crise”, disse.

 

Entre as novas medidas anunciadas para fortalecer o programa está o Pronatec EJA, destinado a jovens e adultos que interromperam seus estudos, e agora terão a oportunidade de participar do programa tendo seus conhecimentos, oriundos do trabalho e de experiências anteriores, reconhecidos, valorizados e aproveitados ao longo dos cursos. O Pronatec EJA se relaciona diretamente à meta 10 do Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê, até 2024, a oferta de no mínimo 25% das matrículas de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, vinculadas à educação profissional.

 

Os estudantes do programa também poderão optar pelo e-Pronatec, que lhes permite estudar onde e quando preferir, de acordo com a própria disponibilidade. O aluno vai estudar por meio de plataformas digitais, simuladores, animações e outros métodos de aprendizagem na internet, na TV Escola e em demais canais educativos, ofertados principalmente pelos institutos federais e pelo Sistema S.

 

O ministro explicou que o MEC está fazendo uma parceria com mais de 30 TVs públicas do país, para transmitir as aulas. “Em vez de ficar vendo filmes, vai estudar no MECFlix”, concluiu Mercadante.

 

Pronatec - A iniciativa governamental, criada em 2011, oferece cursos técnicos e profissionalizantes nos institutos federais de educação, ciência e tecnologia, no Sistema S, além de escolas estaduais e municipais. Em geral, são oferecidos pelo Pronatec dois tipos de formação: cursos técnicos de maior duração, que variam de um ano e meio a dois anos, e cursos de qualificação profissional de curta duração, que vão de dois a três meses até seis meses.

 

Todos os cursos do Pronatec são gratuitos, e o aluno ganha a matrícula, os livros, o uniforme, o material para usar nas aulas práticas e até auxílio para alimentação e o transporte. Os cursos são divididos principalmente nas áreas da indústria, comércio, agricultura e transportes. Dos beneficiados do Pronatec, 70% são jovens com até 29 anos, 60% são mulheres e um terço das matrículas é no Nordeste.

 

Entre 2011 e 2015, o Pronatec registrou 9,4 milhões de matrículas entre cursos técnicos e de qualificação profissional. Em 2015, foram 1,3 milhão de matrículas, sendo os cursos técnicos mais procurados: técnico em informática, técnico em segurança do trabalho e técnico em logística. Na parte dos cursos de qualificação profissional, os mais requisitados foram operador de computador, assistente administrativo e horticultor orgânico.

 

Confira a apresentação do ministro Aloizio Mercadante

publicidade

publicidade