Educação profissional

Evento vai avaliar ações e programas de inclusão social

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/07/2016 18:13

Avaliar as ações e programas voltados à inclusão social e à promoção da diversidade na educação profissional e tecnológica no país – este é o objetivo do seminário Políticas de Desenvolvimento Para a Inclusão Social e Diversidade na Educação Profissional e Tecnológica, realizado nesta terça e quarta-feira, 12 e 13 de julho. O evento é uma parceria das secretarias de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) e de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi).

 

O seminário terá como tema A Educação Como Indutora Para a Geração de Trabalho e Renda e contará com painéis e palestras para debater o atual cenário das ações inclusivas na educação profissional.

 

Para a secretária executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, é importante a integração entre as áreas do ministério para que as políticas educacionais sejam efetivas. “É impossível falarmos de equidade sem que tenhamos uma ação bem articulada e integrada em relação às pessoas com deficiência”, disse.

 

Como explicou a titular da Secadi, Ivana de Siqueira, o programa amplia as ações de inclusão na educação profissional e tecnológica para além das pessoas com deficiência. “Hoje estamos expandindo este escopo, não só para as pessoas com deficiência, mas para outros grupos também vulneráveis e negligenciados, como as pessoas negras afrodescendentes, os indígenas, as pessoas remanescentes das comunidades quilombolas e jovens beneficiários do Bolsa Família”, disse.

 

A secretária observou que as ações de inclusão se integram para cumprir as metas propostas pelo Plano Nacional de Educação (PNE). “O princípio do PNE, que é diminuir as desigualdades sociais e educacionais desses alunos”, afirmou Ivana.

 

A educação profissional no Brasil tem 11 eixos temáticos, entre os quais estão a educação de jovens e adultos, a educação prisional, a educação do campo, águas, florestas e agroecologia, além do atendimento às pessoas com necessidades específicas.

 

Para o secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Marcos Viegas, a pauta da inclusão possui forte valor social e servirá para traçar novas metas. “Esse evento será o ponto de partida para que possamos identificar o cenário das ações direcionadas para a promoção da inclusão que estão em curso atualmente. Desta forma, acredito que teremos elementos que nos possibilitarão pensar de forma planejada a nossa atuação como promotores de ações inclusivas”, afirmou.

 

As propostas resultantes da reunião vão compor um documento que será apresentado no Simpósio Nacional Sobre Educação Inclusiva Plena na EPT [educação profissional e tecnológica], evento a ser realizado no mês de novembro no Colégio Pedro 2º, no Rio de Janeiro.

 

Participam do evento as representações estaduais e municipais de educação profissional, redes privadas, Sistema S (Senai, Senac, Sesi), Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), Instituto Benjamin Constant (IBC) e ministérios.