ENSINO TÉCNICO »

Alunos de ouro

Oito estudantes do Distrito Federal foram medalhistas nas seletivas para a 44ª WorldSkills, maior competição do mundo de habilidade profissional, que ocorrerá em Abu Dhabi em outubro de 2017. Foram quatro medalhas de pontuação máxima, uma prata e três bronzes, melhor desempenho do DF na competição nacional

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/08/2016 13:02 / atualizado em 21/08/2016 13:14

Gabriela Studart

O Distrito Federal (DF) alcançou, neste ano, a melhor colocação em seletivas nacionais para a WorldSkills, competição mundial de habilidades técnicas da indústria e setor de serviço que ocorre de dois em dois anos. O DF ficou em quinto lugar no ranking das unidades federativas, perdendo apenas para São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.


Foram quatro medalhas de ouro para Wisley Silva Pereira, na categoria em refrigeração e ar-condicionado; Fabio Serpa Crisóstomo, em movelaria; Wanderson Carlos Coimbra dos Santos, drywall e estucagem; e Gilberto Ferreira Santos, aplicação em revestimento cerâmico; uma prata para Randerson Cordeiro, em instalações hidráulicas e a gás; e três bronzes para Washington Luís de Mendonça Júnior, em eletricidade industrial; Áthila Côrtes, em tecnologia automotiva; e Mateus Charles, em funilaria.


Agora, os campeões brasilienses precisam manter o índice de desempenho internacional exigido pela organização do torneio para representar o Brasil nos Emirados Árabes no ano que vem. As seletivas ocorreram de 4 de julho a 12 de agosto em 32 cidades, nos 26 estados e no Distrito Federal. Até então, o melhor resultado da capital federal havia sido em 2010, quando os representantes do DF ganharam três medalhas de ouro, duas de prata e quatro de bronze na Olimpíada do Conhecimento realizada no Rio de Janeiro.


Os selecionados para representar o DF se preparam desde maio do ano passado de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e, ocasionalmente, aos sábados. É preciso muito empenho e dedicação para alcançar a posição mais alta do pódium — exatamente o que fizeram os campeões do DF nas Seletivas WorldSkills 2017.

A competição

Assim como os Jogos Olímpicos esportivos, a primeira WorldSkills realizada na América Latina foi no Brasil, em 2015, com São Paulo como cidade-sede. Na ocasião, o país foi o primeiro colocado, com um total de 27 medalhas. Para concorrer na competição nacional, os jovens, com até 22 anos, têm que obter as melhores performances do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) na região em que moram. O processo para escolher o candidato que representará o DF é bastante concorrido: em média 200 pessoas se inscrevem para disputar vagas em 21 áreas, sendo que a maioria das especialidades é representada por apenas um indivíduo.


Os candidatos precisam ter feito algum curso no Senai e obtido desempenho de destaque. A escolha começa com duas etapas: prova teórica e prova prática, que classificam cinco pessoas. Em seguida, são desenvolvidas práticas e exames a fim de selecionar o candidato com a melhor performance. Uma vez escolhidos, os representantes passam a ter bolsa de estudos, vale-transporte e refeição, atividades físicas e acompanhamento psicológico. “Para ser um bom competidor que traz bons resultados, ele precisa estar bem técnica, emocional e fisicamente”, afirma Eliséia Tavares, coordenadora regional da Olimpíada do Conhecimento.


Segundo a coordenadora de educação do Senai Taguatinga, Milla Michelle Couto Ribeiro, o resultado que o DF apresentou incomoda estados com tradição industrial. Só o Senai de São Paulo possui 100 escolas e 100 unidades móveis, com instituições dedicadas a apenas uma especialização. Tamanha estrutura chama a atenção quando comparada à do DF, que possui somente três escolas e duas unidades móveis. “Eles ficam indignados quando percebem que uma unidade federativa que não tem polo industrial consegue formar talentos que se tornam referência”, enfatiza.

Precisa-se de técnicos
“Quando o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) começou foi muito positivo porque o Senai foi a maior instituição que promoveu o programa. Conseguimos colocar muita gente no mercado”, declara Milla Michelle Couto Ribeiro. Segundo a coordenadora, a procura por cursos apresentou redução devido à crise econômica que o país enfrenta — os cursos técnicos do Senai chegam a custar em torno de R$ 11.000. Em 2014, eram 500 candidatos para 50 vagas ao passo que, atualmente, a média é de 100 candidatos para o mesmo número de vagas. Em nota, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que desde que a atual gestão assumiu o ministério, a administração “vem quitando repasses atrasados e cumprindo compromissos assumidos com o programa, que continuará existindo”. Além disso, a gestão analisa possibilidade de oferta de editais para 2017.


A solução que o Senai encontrou para manter a oferta de cursos na conjuntura atual foi investir na educação a distância. O curso, de acordo com a coordenadora de educação do Senai Taguatinga, é formulado e ministrado pelos mesmos professores, material didático e atividades técnicas que o presencial. A diferença é que as aulas teóricas são realizadas por plataforma online e as práticas, como oficinas e exercícios nos laboratórios, ocorrem quinzenalmente aos sábados. Como não existe o gasto diário com professores, água e luz, sai mais barato, por cerca de R$ 4.000. Milla Michelle informa que a maior procura recebida pelo Senai DF é nas áreas de construção civil, segurança do trabalho, elétrica e refrigeração. Segundo o MEC, em 2015 foram realizadas 1.916.112 matrículas em cursos técnicos, e as especialidades mais procuradas foram enfermagem, administração e informática.


Capacitação técnica é um atalho ao mercado de trabalho para profissionais, uma vez que a formação dura cerca de dois anos, diferentemente de graduação em nível superior, com duração média de quatro anos. O Brasil tem se tornado referência em capacitação técnica, apresentando bons resultados nas WorldSkills passadas — nas últimas cinco edições do torneio mundial o país ficou entre os cinco primeiros colocados, alcançando a primeira posição no ranking total de medalhas na última edição. “O Brasil se tornou referência em educação profissional e recebe até profissionais de outras nações para fazer simulados e intercâmbio de conhecimento com os profissionais daqui”, aponta o consultor técnico da área de refrigeração do Senai DF Joaquim Venâncio Ribeiro.

 

Baiano prodígio

 

Cristiano Costa
Wisley Silva Pereira, 20 anos, morador de Santa Maria, é o atual campeão em refrigeração e ar-condicionado. Natural de Serra Dourada, interior da Bahia, onde andava de pau de arara, veio a Brasília buscando melhorar de vida e seguir os passos do tio, que trabalha na área de refrigeração. Primeiro, fez o curso de qualificação para instalador de split e, quando soube das seletivas, viu uma oportunidade para aprimorar suas habilidades. A responsabilidade, no entanto, era grande devido à reputação de peso que sua ocupação tem — Willian Grassioti, atualmente técnico de Wisley, ganhou medalha de ouro na WorldSkills de Londres, em 2011. Mas o jovem manteve as expectativas e promete continuar se esforçando para o mundial. Além da premiação, ele declara ser muito grato à formação que obteve no Senai. “O principal não é nem o título: é o conhecimento que você adquire, que é para a vida toda. Com o currículo que eu tenho hoje, eu não fico mais desempregado de jeito nenhum”, afirma o baiano, que será homenageado pela prefeitura de sua cidade natal graças ao feito.

 

Família de excelência


Cristiano Costa
A área de movelaria, representada por Fabio Serpa Crisóstomo, 19 anos, também foi ouro. O estudante de marcenaria decidiu participar das seletivas por motivação do irmão que competiu na mesma categoria em 2014, ficando em quarto lugar. Fábio já treinava cerca de 10 horas por dia e acredita que o treinamento para o mundial, a ser retomado na semana que vem, irá se intensificar. A preparação envolve melhorar não só a qualidade e desempenho na fabricação do móvel, como também a velocidade da prática. Enquanto isso, aproveita o descanso de uma semana que lhe foi concedido para visitar familiares na Bahia. Para Fabio, o conhecimento que adquiriu será de suma importância para o mercado de trabalho — ele possui, com seu irmão, a marcenaria Serpa em Águas Lindas, próxima à sua casa. “A competição abriu minha mente para várias coisas na minha vida, ampliou os horizontes para mim. A perspectiva agora é crescer no mercado de trabalho com o negócio”, afirma. A expectativa, segundo o marceneiro, é grande e visa a trazer um bom resultado. “Agora eu tenho mais fé em mim.” 

 

Prova de superação


Cristiano Costa
Para Wanderson Carlos Coimbra dos Santos, 20 anos, concluir a prova de drywall e estucagem em si foi uma marca de superação — com duração total de 20 horas, o exame foi dividido em quatro dias para execução da tarefa que avaliava estruturação, chapeamento, tratamento de junta, estucagem e moldura. Devido ao clima de Manaus, com o qual não estava acostumado, o competidor passou mal durante o primeiro dia de prova e foi parar no hospital, onde precisou tomar soro na veia. Ao retornar, faltando 15 minutos para o limite de ausência da prova, sua equipe nem contava mais com ele. Conseguiu, no entanto, compensar o tempo perdido nos dois dias posteriores e finalizou a disputa em primeiro lugar. “O legado que ficou para mim é que tudo que você quer você consegue, se correr atrás”, pondera o campeão. Wanderson agora está focado no mundial, que será sua primeira oportunidade de conhecer um novo país. “Representar a nação não é brincadeira. Vou trabalhar triplicado para fazer bonito. Nossa área não vem trazendo bons resultados ultimamente no Brasil, então quero trabalhar para mudar essa realidade”, afirma o estudante. 

 

Caçula determinado


Gabriela Studart
O mais novo do grupo a alcançar o primeiro lugar é Gilberto Ferreira Santos, 18 anos, que ainda cursa o ensino médio. O jovem relata sempre ter tido vontade de fazer um curso no Senai e participar de competições, mas a grande concorrência e distância da instituição eram fatores que dificultavam o acesso — ele mora em Engenho das Lajes, na divisa entre DF e Goiás. Quando viu um colega com uniforme do Senai, o interpelou sobre o caminho das pedras e, assim, ficou sabendo da Olimpíada do Conhecimento. Embora seja necessário haver concluído curso no Senai para participar do processo seletivo, o que o rapaz não tinha, até então, a coordenadora viu nele grande potencial e interesse em participar. Seu palpite foi certeiro, o que conferiu ao jovem medalha de ouro em aplicação de revestimento cerâmico. A motivação também veio por parte do pai, mestre de obras, com quem trabalha ocasionalmente. Em relação ao futuro, o rapaz tem planos de criar uma empresa e fazer faculdade em engenharia ou arquitetura. “Eu acho que o fato de ser campeão nacional é destaque no mercado de trabalho, ainda mais se trouxer no mundial”, afirma o campeão.

 

Ocupações

Saiba quais são as modalidades das seletivas

» Soluções de software para negócios
» Mecatrônica
» Sistemas drywall e estucagem
» Webdesign
» Manutenção industrial
» Eletrônica
» Confeitaria
» Robótica móvel
» Design gráfico
» Eletricidade industrial
» Esculturas em pedras
» Funilaria automotiva
» Panificação
» Instalações elétricas e prediais
» Jardinagem e paisagismo
» Construção de moldes em concreto
» Manutenção de veículos pesados
» Aplicação revestimento cerâmico
» Refrigeração e ar-condicionado
» Vitrinismo
» Polimecânica/automação
» Manufatura integrada
» Movelaria
» Marcenaria de estruturas
» Soldagem
» Modelagem de protótipos
» Joalheria
» Instalações hidráulicas e de aquecimento
» Carpintaria de telhados
» Redes de cabeamento estruturado
» Tecnologia de mídia impressa
» Construção em alvenaria
» Manutenção aeronaves
» Tecnologia da moda
» Gestão de sistema redes em TI
» Engenharia de moldes para polímeros
» Desenho mecânico em CAD
» Tornearia a CNC
» Fresagem a CNC
» Pintura automotiva
» Tecnologia automotiva
» Construção de estruturas metálicas
» Pintura decorativa

 

Matrículas abertas

Os Senais Gama e Taguatinga estão com inscrições abertas até sexta-feira (26) para os cursos técnicos em segurança do trabalho, eletrotécnica, eletromecânica e cozinha.

Para mais informações acesse www.sistemafibra.org.br/senai/gama e www.sistemafibra.org.br/senai/ taguatinga.

A instituição também está com inscrições abertas para cursos técnicos a distância em diversas áreas até 1º de setembro. A plataforma também oferece cursos de qualificação e diversas áreas e as inscrições vão até 15 de setembro. Para mais informações, acesse www.ead.senaidf.org.br.