Recanto das Emas ganha câmpus do IFB

Novo câmpus oferecerá cursos técnicos de áudio e vídeo para quem concluiu ou esteja cursando o ensino médio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/02/2018 12:56 / atualizado em 08/02/2018 16:03

Na manhã desta quinta-feira (8) foi inaugurado o 10° câmpus do Instituto Federal de Brasília (IFB). Com o eixo de produção cultural e design. O primeiro curso a ser ofertado é o de técnico em produção de áudio e vídeo, a instituição é no Recanto das Emas. A escola tem capacidade para atender 1.200 estudantes, entre ensino médio integrado ao técnico e também para quem já concluiu a educação básica.

Ainda há 96 vagas para o curso técnico.  As matrículas são feitas presencialmente por ordem de chegada.

O prédio do novo campus foi cedido pelo Governo de Brasília, porque era uma área abandonada e utilizada por usuários de drogas. Os recursos são do Ministério da Educação (MEC). E os servidores são do antigos campus de Taguatinga Centro.

O eixo escolhido foi uma demanda da população e foi decidido em audiência pública. O prédio tem 11 salas de aula, quatro laboratórios,  biblioteca e quadra poliesportiva. Conta com estrutura de ilhas de edição e todos equipamentos para áudio e vídeo.

Na cerimônia estavam presentes o governador Rodrigo Rollemberg, o reitor do IFB Wilson Conciani, diretor geral do IFB Recanto das Emas, Germano Teixeira Cruz, além de senadores e deputados.

De acordo com o diretor geral do IFB Recanto das Emas, Germano Teixeira Cruz, esta é uma escola preparada para receber toda a comunidade. "Ela tem toda a estrutura para receber pessoas com necessidades especiais. E a intenção não é se limitar a técnica, e sim formar cidadãos com uma formação humana e ética", diz.
 
O governador Rodrigo Rollemberg lembrou da importância do IFB de como a área escolhida é significativa. "Todos reconhecemos a necessidade dessa instituição para o país. O Recanto das Emas está se tornando um grande polo de arte e cultura do DF e a indústria criativa vai ter um papel cada vez maior na economia. Em torno de 64% dos alunos que se formam no IFB estão trabalhando na  área de formação", afirmou.

Para o administrador da região, José Loyola,  essa é uma grande conquista da comunidade. “Isso só foi possível pelo apelo das lideranças e a sensibilidade dos governantes”, afirma. A deputada federal Erika Kokay, presente na solenidade, lembrou que os cortes na educação não foram impedimento para que a instituição pudesse abrir as portas. “Essa construção é tecida com a coragem da comunidade”, ressaltou.
 
Na visão deles

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press
A moradora do Recanto das Emas, Ireani dos Santos, 16 anos, será uma das primeiras estudantes do Instituto. "Eu quis vim estudar aqui porque acho que é uma ótima oportunidade", ressalta. Filha de ladrireiro e de auxiliar de serviços gerais, ela planeja ser arquiteta e acha que o curso pode ajudá-la nessa empreitada. "Eu me interesso pela área  e acho que tenho grandes chances de conseguir um emprego quando termina", completa. 
 

Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press
Músico, o estudante do 1° ano do ensino médio Lucas Cley Ferraz,14 anos, acredita que a área do curso irá acrescentar muito para ele. "Minhas expectativas estão lá em cima", se anima. Morador do Gama, inicialmente os pais dele tentaram uma vaga lá, mas sem sucesso. "Eu quero ser produtor musical, mas também penso em outras coisas como advogado e empresário",diz.
 
 
Thays Martins
 
 *Estagiária sob supervisão de Ana Sá