SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Trote solidário troca humilhação por ações sociais

Instituições investem na prática para receber calouros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/04/2012 18:29

Iesb/divulgação
Neste ano, os trotes sujos causaram polêmica no DF depois que três calouros da Universidade de Brasília (UnB) entraram em coma alcoólico durante recepção de veteranos num bar da Asa Norte, em 15 de março (leia mais). Por causa deste e de outros casos abusivos, a prática foi proibida na instituição. Apesar de existir o trote violento ou sujo, que obriga o calouro a passar por situações indesejadas e constrangedoras, existem iniciativas que direcionam o ingresso no ensino superior para causas sociais. São os trotes solidários.

Na UnB, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) arrecada doações e realiza visitas com calouros a escolas de comunidades carentes em cidades satélites do DF desde 2009. Os universitários levam atividades lúdicas e culturais, como oficinas de dança, capoeira, horta e pintura de rosto. A diretora de eventos do DCE da Universidade e estudante de direito, Anna Clara Balzacchi, afirma que nas próximas edições também será promovida a doação de sangue entre calouros e veteranos. Neste semestre, a iniciativa ainda não aconteceu. "Infelizmente, ainda não conseguimos realizar o trote solidário por causa da greve dos professores. Assim que a paralisação acabar, vamos promover as visitas das escolas públicas", justifica Anna Clara.

Kleber Lima/CB/D.A Press
sonobrrasil
Calouros da UnB fazem pinturas em crianças de Ceilândia

No Centro Universitário de Brasília (UniCeub), as recepções solidárias acontecem desde 2004. Semestralmente, os calouros de todos os cursos participam de uma grande gincana para arrecadar alimentos não perecíveis, agasalhos, material escolar e de limpeza. "A turma que arrecadar mais, ganha", explica o presidente do DCE do Ceub, Eduardo Barbosa, aluno de pós-graduação em direito. O material é doado para a creche governamental Caic (Centro de Atendimento Integrado da Criança) no Paranoá. A doação é feita de acordo com a necessidade da instituição e, se possível, há doações para outras organizações, como o Lar dos Velhinhos. "Além das doações, os alunos do Ceub trazem às crianças atividades de artesanato, informática e esportes. Preenchemos as lacunas de tempo em que essas crianças não têm aula, o que evita que elas fiquem nas ruas", ressalta Eduardo.

No Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb), o trote solidário acontece por iniciativa dos alunos desde 2005. No ano passado ao invés de humilhações e cortes de cabelo, os calouros foram incentivados a doar medula óssea.

Outras faculdades como Faculdade Alvorada e Universidade Católica de Brasília também organizam trotes solidários periodicamente. Na onda da substituição do trote violento pelo trote solidário, existe até premiação para projetos nesse sentido. O prêmio Trote da Cidadania, realizado pela Fundação Educar DPaschoal, existe há 13 anos para homenagear recepções aos calouros nas universidades com espírito empreendedor e com objetivos de melhorar a comunidade. A participação acontece nas categorias de ensino superior e de ensino técnico com ações que priorizem inovação, sustentabilidade e impacto social. As três melhores iniciativas de cada categoria serão publicadas no livro Melhores Práticas de Trote da Cidadania 2012 – Fundação Educar DPaschoal, além de ganhar certificados. Neste ano as inscrições podem ser feitas até o dia 5 de abril pelo site www.trotedacidadania.org.br.

Tags:

publicidade

publicidade