SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

UnB tem 10 candidatos a reitor

A disputa ao cargo de reitor foi iniciada ontem com a homologação das chapas concorrentes. Pleito está previsto para 22 e 23 de agosto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/07/2012 12:00

Julia Chaib

A corrida para disputar a vaga de reitor da Universidade de Brasília (UnB) começou oficialmente. Ontem, 10 chapas tiveram os seus pedidos homologados pela Comissão Organizadora da Consulta (COC). Todos os candidatos foram aprovados por preencher requisitos básicos como o título de doutor para o cargo máximo da instituição e para vice-reitor. A partir de agora, eles podem iniciar a campanha eleitoral, dentro das normas estabelecidas para o pleito. Alguns adiantaram que a maior luta será pela melhoria no processo de expansão e na segurança nos câmpus. A autorização ocorreu às 15h, na sede da Associação dos Docentes (ADUnB).

A exemplo do que ocorreu em 2008, o pleito será paritário, quando o peso do voto de servidores, dos professores e dos alunos é o mesmo. As eleições estão previstas para 22 e 23 de agosto. Caso seja necessário o segundo turno, a votação deve ser em 11 e 12 de setembro. As datas, no entanto, podem ser alteradas pela COC, se houver justificativa contundente. Uma hipótese discutida seria postergar o prazo devido à greve, que não tem previsão para terminar. A paralisação tem mais de dois meses.

No entanto, devido ao prazo de entrega da lista tríplice, isso não deve ocorrer. “A lista apresenta as três pessoas mais votadas nas eleições, portanto, define o reitor. Ela deve ser entregue ao Ministério da Educação (MEC) pelo menos 60 dias antes do último dia da gestão atual”, explica a candidata a vice-reitora Maria de Fátima Makiuchi, da chapa Gira UnB para uma nova gestão. O reitor eleito assume o cargo logo após a saída do atual gestor da instituição, José Geraldo de Sousa Júnior, em 18 de novembro. “Por isso, é complicado pensar em alterar as eleições, mesmo com o cenário de greve”, completa.

Propaganda
Ontem, os quatro integrantes da COC que participaram da reunião de homologação dos candidatos apresentaram e discutiram as normas para as campanhas dos candidatos. Dois pontos que provocaram discussões entre as chapas e os organizadores do pleito foram a proibição inicial da divulgação das propostas nas salas de aula e a definição do que seria propaganda fora do câmpus. “Ficou decidido que os candidatos podem entrar nos 10 minutos finais das aulas para conversar com os alunos. Isso só pode ser feito caso o docente que ministra a aula autorize, e os alunos que não queiram conhecer as propostas fiquem livres para sair”, explica o membro da COC Alessandro Borges de Sousa Oliveira, diretor do câmpus do Gama.

Sobre a propaganda, ficou definido que os concorrentes ao cargo máximo da universidade são proibidos de colocar faixas nos câmpus, mas estão autorizados a colar cartazes e panfletar. “Fora do câmpus, é permitido o uso de camisetas, bótons e adesivos”, explica. As chapas podem captar e gastar até R$ 12,5 mil nas campanhas eleitorais.

Colaborou Manoela Alcântara


No palanque

Volnei Garrafa
É professor da UnB há 39 anos. Concorreu a outras eleições para reitor. É coordenador de bioética na área de mestrado e de doutorado. Tem mais de 200 trabalhos publicados. Também é professor da Faculdade de Ciências e Saúde.
Vice: Luis Afonso Bermúdez
Chapa: Viver UnB

Maria Luiza Ortiz
Foi do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução e coordenadora de Pós-graduação em linguística aplicada. Em 2006, foi diretora do Instituto de Letras. Atuou 22 anos como professora de língua russa e portuguesa em Havana.
Vice: Maria de Fátima Makiuchi
Chapa: Gira UnB para uma nova gestão

Gustavo Lins Ribeiro
Concluiu o mestrado em antropologia pela UnB em 1980. É doutor pela City University Of New York. Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em antropologia e diretor do Instituto de Ciências Sociais. É professor de antropologia.
Vice: Flavio Botelho
Chapa: Inova UnB

Sadi Dal Rosso
Concluiu a graduação em ciências sociais pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos e em filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição, de Viamão (RS). É mestre e doutor em sociologia e professor titular da UnB.
Vice: Maria Lúcia Leal
Chapa: Construindo a unidade

João Batista de Sousa
O atual vice-reitor da UnB é doutor em medicina clínica cirúrgica pela USP. Tem especializações em cirurgia geral, em colo proctologia, em cirurgia do aparelho digestivo e em outras. Foi chefe do Centro de Clínicas Cirúrgicas e diretor do HUB
Vice: Wellington de Almeida
Chapa: UnB: excelente e solidária

Ivan Camargo
Professor da UnB desde 1989, é formado pela própria universidade em engenharia elétrica. Foi coordenador da pós-graduação e decano de ensino de graduação. Hoje, é professor da Faculdade de Tecnologia (FT).
Vice: Sônia Báo
Chapa: UnB somos nós

Marcia Abrahão
Formou-se em geologia, fez mestrado e doutorado na UnB.
É pesquisadora do CNPQ, coordenadora de graduação, vice-diretora do Instituto de Geociências, coordenadora de extensão e ex-decana de graduação. Trabalha na instituição há 17 anos.
Vice: Marcelo Bizerril
Chapa: O amanhã fazemos juntos

Paulo César Marques
Professor da UnB desde 1993. Atua na área de transportes, especificamente na de engenharia de tráfego. Foi prefeito do câmpus na atual gestão e hoje exerce o cargo de coordenador do programa de pós-graduação em transporte.
Vice: Antônio Sebben
Chapa: UnB +50

Denise Bomtempo
Atua como professora da Universidade de Brasília desde 1993. Fez parte de diversos cargos administrativos na instituição. Foi decana de pesquisa e de pós-graduação na atual gestão.
Vice: Noraí Rocco
Chapa: Inovação e sustentabilidade

Ana Valente
A antropóloga transferiu-se da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul para Brasília em 2002. Na UnB, foi coordenadora de mestrado em agrononegócio. É professora da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária
Vice: Lúcia Helena Silva.
Chapa: Uma reitoria valente para honrar a UnB
Tags:

publicidade

publicidade