SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Qualificação

Vem aí o Fies Técnico

Nova modalidade de financiamento estudantil abrirá linha de crédito para quem quiser se profissionalizar. A novidade é que as empresas também poderão custear os estudos dos funcionários por meio do programa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/08/2012 11:35

Helena Oliveira paga do próprio bolso o curso técnico de enfermagem: É difícil ainda arcar com aluguel, água e luz Para jovens que não tiveram acesso a uma universidade pública, o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é a porta de entrada alternativa — o programa do Ministério da Educação (MEC) permite que os alunos financiem o ensino superior em uma faculdade particular e só paguem após a formatura. Agora, essa oportunidade se estenderá a uma modalidade diferente, mas não menos importante. O Fies Técnico, assim como seu predecessor, oferecerá uma linha de crédito a quem quer se profissionalizar por meio de cursos pagos. Essa medida faz parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec), do governo federal, e está em fase de cadastro das escolas. Quem optar pelo Fies Técnico como financiamento do ensino profissionalizante terá o prazo de seis vezes o tempo do curso e mais um ano para pagar a dívida, com juros de 3,4% ao ano. A cobrança não começa imediatamente depois da conclusão: serão conferidos 18 meses de carência para o recém-formado encontrar um emprego na área. No Fies tradicional, as condições são semelhantes. A diferença é quanto ao período de amortização. Quem concluir a faculdade terá de devolver o dinheiro no prazo de três vezes o tempo do curso e mais um ano. Nos dois tipos de financiamento, durante as aulas, o estudante pagará, a cada três meses, o valor máximo de R$ 50, referente aos juros incidentes. A grande novidade do Fies Técnico é que, além de auxiliar os estudantes, haverá uma vertente dedicada aos empresários que queiram custear a formação de seus empregados, o Fies Empresa. Com isso, o patrão poderá inscrever seus funcionários em cursos de qualificação e pagar as aulas somente depois de concluídas. Nesse caso, os juros são os mesmos (3,4%), mas a carência é menor: seis meses. O pagamento total, por sua vez, deverá ser feito no prazo de 30 a 42 meses, de acordo com o curso. A proposta de utilizar crédito para investir na qualificação de sua equipe interessou o empresário Henrique Cartaxo, 52 anos, dono de uma franquia de cosméticos e serviços estéticos em Brasília. A maioria dos esteticistas que trabalham para Cartaxo precisa de formação técnica, e ele já investe em treinamento e cursos de aperfeiçoamento, que são oferecidos por técnicos da franquia a um custo menor. “A pessoa interessada em melhorar sua formação adquire conhecimento para si e beneficia a qualidade de serviço da empresa”, afirma o empresário. Custos altos O Fies Técnico foi idealizado para pessoas como a manicure Helena Oliveira, 29 anos, que já gastou cerca de R$ 4,8 mil com um curso técnico de enfermagem em uma instituição particular. Helena foi encorajada a se matricular na escola por insistência da diretora, que é sua cliente. “Ela me deu 10% de desconto nas mensalidades”, conta a manicure. A turma de Helena começou com 60 alunos, mas 25 já desistiram. Um dos motivos foi a dificuldade em custear as despesas de mensalidade e materiais didáticos, que podem alcançar até R$ 400. Helena não pensa em desistir. Quando soube do Fies Técnico, celebrou a iniciativa. “Muitas pessoas querem se capacitar e não têm condição. Para mim, é difícil manter o curso e ainda pagar aluguel, água e luz. Tenho de trabalhar bastante.” As escolas interessadas em participar do Fies Técnico devem estar registradas e habilitadas no Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec), coordenado pelo MEC (leia Saiba mais). O cadastro é eletrônico, feito por meio do Sistema Informatizado do Fies (SisFies Técnico), disponível no endereço http://sisfiestecnico.mec.gov.br. A avaliação das unidades de ensino é feita pela Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, processo que também envolve visitas presenciais. O MEC ainda está em fase de levantamento dos cursos e das vagas que serão disponibilizados. Somente após a divulgação das ofertas, estudantes e empresários estarão aptos a se cadastrar no sistema. Mais de 200 De acordo com dados do MEC, 217 instituições de ensino estão habilitadas no Brasil e 67 estão em processo de habilitação. A assessoria de comunicação da pasta informou ainda que a previsão para que os estudantes comecem a se cadastrar é no fim do segundo semestre. Saiba mais Avaliação prévia Podem solicitar a adesão ao Fies Técnico as escolas de ensino técnico e profissionalizante privadas, inclusive os serviços nacionais de aprendizagem. O cadastro só é feito depois do registro no Sistec (http://sitesistec.mec.gov.br), sistema de controle das instituições de ensino técnico. As escolas serão avaliadas antes de serem habilitadas a participar. Informações: » http://pronatec.mec.gov.br/fies_tecnico.html
Tags:

publicidade

publicidade