SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS

Fasubra aceita proposta do governo e greve deve terminar segunda

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/08/2012 10:39 / atualizado em 23/08/2012 11:31

Os representantes da Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra) decidiram aceitar a proposta de reajuste de 15,8%, fracionado até 2015, e incentivos à titulação oferecidos pelo Ministério do Planejamento. A expectativa do sindicato é que os 140 mil técnicos-administrativos que estão em greve retornem às atividades na próxima segunda-feira (27/8).

O governo não cedeu às pressões dos técnicos que exigiam o percentual integral para o próximo ano ou aumento dos salários de 25% dividido em três anos. Segundo a coordenadora-geral da Fasubra, Janine Teixeira, apesar de ter aceito a oferta, a categoria ficou “insatisfeita”.

“Achamos muito pouco em termos de reajuste, mas decidimos aceitar porque tivemos avanços muito grande na carreira. Com a progressão de carreira, o percentual pode chegar até 24%, nos próximos três anos, em alguns casos”, disse.

A assinatura do acordo com o governo, que ratifica o fim das negociações, está previsto para ocorrer amanhã (24/8). O placar parcial da Fasubra aponta que 36 universidades são a favor da proposta do governo federal e 14 contra . Os representantes do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) mantiveram a rejeição à proposta do governo.

Para o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, o acordo encerra as negociações em uma área estratégica do governo. “Fechamos acordo em uma área importante e estratégica que estava em conflito. Tenho certeza que voltaremos à normalidade em pouco tempo”, disse. Os servidores das universidades federais estão em greve desde o dia 11 de junho.

A proposta apresentada pelo governo terá um impacto no Orçamento de R$ 2,9 bilhões nos próximos três anos. Só para 2013, o custo será R$ 670 milhões. O governo elevou em R$ 1,2 bilhão a proposta do aumento como forma de incentivar a titulação.

Segundo o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antônio de Oliveira, a normalidade do ensino superior federal deve ser retomada na próxima semana. “O acordo com os técnicos administrativos vai impactar na volta dos docentes. Levantamento de hoje aponta que 35 universidades decidiram retomar as aulas”, declarou.

Oliveira destacou ainda que a reposição das aulas será acompanha de perto pelo órgão. “As universidades já foram orientadas pelo MEC quanto ao calendário de reposição das aulas. Vamos fazer acompanhamento rigoroso”, ressaltou.

Tags:

publicidade

publicidade