SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Universidade intercede por alunos sem visto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2012 08:00 / atualizado em 11/10/2012 13:35

Depois de descobrirem que não estariam aptos a concorrer ao visto de trabalho temporário nos Estados Unidos, os 14 alunos da Universidade de Brasília (UnB) afetados pela decisão da embaixada norte-americana recorreram à instituição de ensino e à internet para tentar conseguir de volta o direito de ter essa experiência no exterior. Aprovados na seleção da empresa de intercâmbio Student Travel Bureau (STB) para trabalhar na Disney por três meses, ele foram avisados de que a greve dos professores os impediria de conseguir autorização para viajar, já que teriam aulas a repor durante o período de férias. Na manhã de ontem, o grupo procurou a ajuda da Assessoria de Assuntos Internacionais (INT) da UnB, que iniciou uma negociação com o consulado e com o Itamaraty para viabilizar a ida dos estudantes. Além disso, um abaixo-assinado virtual lançado pelos jovens, em parceria com alunos do restante do Brasil, já somava mais de 4.300 manifestações de apoio na noite de ontem.

De acordo com o membro da coordenação de intercâmbio do INT Leonardo Souza, ainda há a possibilidade de os universitários conseguirem a liberação para a viagem programada para o fim deste ano. “A embaixada nos informou que está entrando em contato com Washington para tentar conceder o visto”, explica o funcionário. “Argumentamos que os alunos poderiam solicitar aos seus departamentos um calendário especial de reposição das aulas”, conta. Instruídos pela assessoria, os estudantes dirigiram-se a seus departamentos, ontem, à procura de um documento que comprove que eles estão aptos a partir para o exterior. A ideia do grupo é conseguir também o apoio da reitoria da UnB para convencer a embaixada norte-americana.

Calendário alterado


O pesadelo dos futuros intercambistas começou na última sexta-feira, quando o consulado norte-americano de São Paulo anunciou que desqualificaria os estudantes de universidades federais participantes da greve do processo para obtenção do visto J1, necessário para quem quer trabalhar nos EUA. Isso porque esse tipo de visto exige que o participante esteja em seu período de férias para ser considerado elegível.

Em nota, a STB comunicou que todos os participantes estavam cientes de que a greve poderia gerar impedimentos à viagem. Contudo, a estudante do 5° semestre de arquitetura da UnB Isabela Eichler, 21 anos, reclama que nunca foi alertada sobre esse risco. “Se eu soubesse, provavelmente não teria comprado as passagens. Mas, em vez de falar sobre isso, eles nos pressionaram para comprar logo o bilhete”, conta.

Ela e o namorado, o aluno do 6° semestre de administração Pedro Bessa, 20 anos, gastaram cerca de R$ 5 mil com os preparativos para a viagem. “Tivemos que ir duas vezes para Belo Horizonte participar da seleção e ainda gastamos mais de R$ 2 mil com a passagem para a Disney”, relata o jovem. A estudante de línguas estrangeiras aplicadas Maria Moura, 19, além do investimento financeiro, abriu mão de três oportunidades de estágio para participar do intercâmbio. “Para o meu curso, essa experiência é obrigatória”, comenta a moça.

4.300
Número de pessoas que apoiaram abaixo-assinado lançado na internet pelos estudantes até o fechamento desta edição
Tags:

publicidade

publicidade