SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Pernambucana representa o Brasil em evento da UNESCO no Japão

Arquiteta, que realiza mestrado pelo IPHAN, vai abordar a relação entre os jovens de Olinda com a preservação do patrimônio cultural

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/11/2012 10:34

Diário de Pernambuco

A arquiteta pernambucana Julia da Rocha Pereira, formada na Universidade Federal de Pernambuco, representa o Brasil no evento de encerramento da celebração do 40º Aniversário da Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Cultural e Natural, da UNESCO. A jovem tem dois anos de co-graduação na Universidade Politécnica da Catalunha (Espanha), na Escola Superior Técnica de Arquitetura, e é mestranda em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O evento está sendo realizado na cidade de Kyoto, no Japão, e segue até o dia 09 de novembro.
 
Em Kyoto, Julia Pereira apresenta seu trabalho sobre a cidade de Olinda, tombada pelo IPHAN em 1968 e inscrita na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 1982, abordando o papel das comunidades locais e dos jovens no dia-a-dia na conservação dos bens culturais eos sítios. Segundo ela, “o IPHAN tem investido em novas abordagens de pesquisa que envolvem o fortalecimento da aproximação entre os jovens e as comunidades locais com o patrimônio cultural”, diz.
 
Especificamente sobre as ações desenvolvidas em Olinda, Julia Pereira ressalta a mudança na representação organizacional, administrativa e física do IPHAN, uma vez que a Casa do Patrimônio deixou de ser um espaço apenas técnico para dar origem a vários tipos de exposições, apresentações culturais e oficinas de fotografia e desenho, com a participação das comunidades e da juventude.
 
Ela cita também a parceria entre o Ministério da Educação e o IPHAN que, por meio do projeto Mais Educação, está possibilitando que estudantes e professores de escolas de Olinda realizem um processo de identificação, registro e estudo do patrimônio cultural da cidade, um conceito amplo de educação, que vai além dos limites da escola e evidencia a importância da cidade, do bairro e do patrimônio cultural para a educação. De acordo com a arquiteta, “essas iniciativas garantem a efetiva participação dos moradores e dos jovens nas decisões sobre a conservação do patrimônio”.
 
A Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Cultural e Natural foi celebrada em 1972. Atualmente, 190 estados-parte assinam a convenção, entre eles o Brasil, que possui 19 bens entre os 936 inscritos na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO. Desde o lançamento oficial do aniversário da Convenção, na sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, em 2011, vários eventos nacionais, regionais e globais estão acontecendo, planejados por mais de 25 países. Outras informações sobre o evento estão disponíveis no site http://www.finalevent.jp/.
Tags:

publicidade

publicidade