SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

CA de Economia organiza encontro que reúne especialistas e alunos

Termina nesta sexta-feira, 23, o I Fórum de Economia da UnB. Encontro proporcionou aos alunos de graduação contato com diversas áreas da economia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/11/2012 18:07 / atualizado em 23/11/2012 20:24

Agência UnB

Especialistas do Banco Central, corretores de ações e outros especialistas da área tiveram a oportunidade de compartilhar seus conhecimentos com os alunos de graduação e do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Economia no I Fórum de Economia da UnB. O encontro tem como objetivo apresentar perspectivas profissionais para os estudantes e é organizado pelo Centro Acadêmico do curso (Caeco).

“Às vezes, muitos dos nossos colegas não têm a noção do que fazer após o curso”, disse Leonardo Ornelas, estudante do 5º período de Economia e presidente do Caeco. Confira aqui a página eletrônica do Fórum. Huberto Bernal e Filipe Bicalho, também estudantes de Economia e membro do Caeco, acreditam que o Fórum permite que os alunos tenham experiências que transcendam a sala de aula. “Além disso, tiramos a imagem de que o CA serve somente para realizar festas. Atendemos uma demanda de grande parte do alunos, que queriam um evento assim”, disse Humberto Bernal.

Sérgio Odilon dos Anjos foi aluno de Economia da UnB entre 1974 e 1978. Hoje, ele é chefe de unidade do departamento de normas do Banco Central. Sérgio se disse emocionado com a oportunidade de voltar à UnB para compartilhar sua experiência. Pai de um economista formado pela UnB há oito anos, Sérgio Odilon acredita que o curso de Economia da UnB precisa resgatar alguns dos aspectos que tinha nos anos 1970.

Mariana Costa/UnB Agência
Sérgio Odilon foi um dos palestrantes do evento

“Na época em que eu estudei, o conteúdo era muito teórico, com um cunho social muito forte”, relembrou. “Como o que dita a Economia é o comportamento humano, é preciso compreender números e modelos, muito além do aspecto quantitativo”, disse o economista do Banco Central.

Ele defendeu que a Economia seja ensinada em todas as carreiras e sugeriu aos alunos que o Banco Central permite trabalhar questões microeconômicas e macroeconômicas todos os dias. “O que nós economistas fazemos é mesmo como o trabalho de um médico que tenta equilibrar a saúde do seu paciente”, finalizou.

Confira aqui a página eletrônica do Fórum.

Tags:

publicidade

publicidade