SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

ENADE 2011

Ministro recomenda que estudante não faça vestibular em instituição fraca

Lista com as notas dos cursos será divulgada às 16h

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/12/2012 14:43 / atualizado em 06/12/2012 15:22

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, recomendou que os estudantes não prestem vestibular para instituições que não evoluiram no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2011. "Não é recomendável que o estudante preste vestibular para uma instituição que tem um curso nível um, mas instituições nível um praticamente não temos. E mesmo nível dois, ele tem que olhar com bastante cuidado, muita prudência. Não queremos que nossos alunos estudem em cursos insuficientes", afirmou.

A recomendação foi feita durante a divulgação de resultados preliminares do exame. As notas por curso e por instituição estarão disponíveis às 16h.Segundo Mercadante, as notas melhoraram em comparação com as de 2008.

O ministro destacou ainda que os cursos que não evoluiram de 2008 para 2011 e continuam com notas 1 e 2 no Enade serão punidos. Eles não terão acesso ao Programa Universidade para Todos (Prouni) nem ao Programa de Financiamento Estudantil (Fies). Mercadante promete que a pasta será muito rigorosa.

Em 2011, foram avaliados 8.665 cursos de graduação oferecidos 1.387 instituições, 11% públicas e 89% privadas. Foram os concluintes dos cursos de arquitetura e urbanismo, engenharia, biologia, ciências sociais, computação, filosofia, física, geografia, história, letras, matemática, química, pedagogia, educação física, artes visuais e música.

Também fizeram as provas os alunos de cursos superiores de tecnologia em alimentos, construção de edifícios, automação industrial, gestão da produção industrial, manutenção industrial, processos químicos, fabricação mecânica, análise e desenvolvimento de sistemas, redes de computadores e saneamento ambiental.

Com informações de Grasielle Castro
Tags:

publicidade

publicidade