SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Saúde

Alunas de Nutrição desenvolvem blog de estudo e tratamento de obesidade

Grupos usam ferramentas virtuais para troca de informações a respeito das razões e riscos de uma vida pouco saudável

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/02/2013 15:00

Agência UnB

Um trabalho que envolve saúde, informação e tecnologia toma corpo no curso de Nutrição da Universidade de Brasília. Nesta quinta-feira, 21 de fevereiro, cinco alunas do primeiro semestre do curso apresentaram o seminário Bioquímica da Obesidade – Uma batalha a cada dia, como parte integrante da disciplina Bioquímica e Biofísica, ministrada pelo professor Marcelo Hermes.

Os alunos, divididos em vários grupos, foram orientados a criar blogs e videoblogs em que desenvolveriam pequenos vídeos explicativos sobre temas como obesidade, álcool, diabetes e radicais livres, referentes à disciplina. O grupo das jovens Caroline Moreira, Thaís Amaral, Paula Neves, Larissa Lins e Nathália Bandeira tratou então de criar um blog (veja aqui) sobre obesidade e suas principais causas e conseqüências, correlacionadas à Bioquímica.

“Então pensamos: já que quase toda a informação está contida em vídeos, apresentaremos também o seminário presencial nesse formato”, conta Larissa Lins. Para ela, o formato vem a calhar nesse momento de início de aprendizagem, em que a troca de informações, quando colocada em rede, favorece o desenvolvimento. As garotas adicionam aos posts dos vídeos bibliografias complementares e pequenas enquetes junto aos leitores, que são respondidas em seguida.

METODOLOGIA - Mauro Rabello, decano de ensino de graduação (DEG), esteve presente na apresentação e aprovou o formato: “São sempre interessantes essas metodologias diferenciadas de aprendizagem. Sai da apresentação tradicional e torna tudo mais dinâmico. Além disso, o trabalho fica registrado e disponibilizado, de forma que haja troca de informação desses calouros”.

Nessa troca, as meninas destacam a pertinência do tema, em pormenores técnicos da área que, no seminário, passaram pela conceituação de tecido adiposo, queima de gordura corporal e disposição de gordura no corpo, bem como os riscos que cada tipo dessa disposição causa ao ser humano. "A gordura corporal fica armazenada em células adiposas e, quando o tecido adiposo se acumula na metade superior do corpo, é o que chamamos Obesidade Andróide”, explica Thaís Amaral, ressaltando que esse tipo de obesidade, conhecida pelo “formato de maçã”, é mais presente nos homens e está associada distúrbios  metabólicos como hipertensão  arterial,  doença cardíaca,  intolerância à  glicose e  problemas  pulmonares.

O segundo tipo, a Obesidade Ginoide, traz o “formato de pêra” típico da mulher obesa, em que pesa a acumulação de gordura especialmente nos quadris, glúteos e coxas. Está associada a artrozes e varizes. “Mas a obesidade não envolve só hormônios e hereditariedade, mas também o fator ambiental. Os hábitos alimentares atuais, decorrentes da facilidade com que os alimentos altamente calóricos chegam às pessoas, põem em risco o bem-estar físico e psicológico da população”, observa Caroline Moreira. “A obesidade definitivamente ganhou espaço na vida do homem moderno. Se antes havia desnutrição, agora há acúmulo de gordura", complementa Nathália Bandeira.

A solução para evitar tais malefícios? As calouras de Nutrição sabem muito bem: “A obesidade é um tema muito amplo e o uso de remédios para o tratamento é desnecessário na maioria das vezes, quando o que se tem de mais básico e eficaz é dieta e exercício. Todo mundo sabe disso, só falta colocar em prática. Sou sempre a favor disso”, resume Larissa Lins.

Tags:

publicidade

publicidade