Lula recebe honoris causa em universidade de integração afro-brasileira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/03/2013 20:05

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu na tarde desta sexta-feira, 1º de março, o título de doutor honoris causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). A solenidade de outorga foi realizada no câmpus da Liberdade da Unilab, na cidade cearense de Redenção, que também concedeu a Lula o título de cidadão redencionista.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, também participou da solenidade, assim como o governador do Ceará, Ciro Gomes, parlamentares, prefeitos e estudantes. A iniciativa de homenagear Lula partiu do reitor da Unilab, Paulo Speller, e foi aprovada no fim do ano passado pelo conselho superior da universidade.

“Recebo com emoção esta homenagem”, disse Lula. “A criação da Unilab foi um marco histórico de cooperação entre Brasil e África. Criamos aqui o mais elevado patamar de colaboração, que é o patrimônio comum do conhecimento. Aqui estamos construindo um futuro de justiça social.”

Mercadante também destacou que há uma grande dívida histórica do Brasil com o povo da África, e lembrou que Lula pregou a necessidade de aproximação dos dois países e fez muito pela educação. “Sinto-me honrado de ser ministro da Educação e poder participar desta homenagem”, afirmou.

Reconhecimento – O título de doutor honoris causa é atribuído por instituições de ensino a personalidades em reconhecimento à atuação no campo das ciências e artes ou nas relações com a sociedade. Lula foi presidente da República de janeiro de 2003 a dezembro de 2010.

O ex-presidente é considerado figura central na história da Unilab. Em seu governo, em outubro de 2008, a comissão de implantação da Unilab foi instituída pela Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação. Ao longo de dois anos, foram feitos levantamentos e estudos a respeito de temas e problemas comuns ao Brasil e aos países parceiros na integração.

Criada pela Lei nº 12.289, de 20 de julho de 2010, a Unilab iniciou as atividades acadêmicas em 25 de maio de 2011, com a missão institucional de formar profissionais que contribuam com a integração entre o Brasil e as demais nações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), especialmente as africanas, bem como promover o desenvolvimento regional e o intercâmbio cultural, científico e educacional.

Das vagas de graduação, 50% destinam-se a estudantes oriundos de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. A Unilab conta hoje com 1 mil estudantes matriculados, dos quais 800 brasileiros. O corpo docente é composto por 79 professores-doutores — 68 deles, brasileiros.

Os cursos presenciais de administração pública, agronomia, bacharelado interdisciplinar em ciências humanas, ciências da natureza e matemática, enfermagem, engenharia de energias e letras atendem à demanda do público atendido pela instituição. Há também a oferta de cursos de especialização em gestão governamental e histórias e culturas afro-brasileira, indígena e africana.

As atividades acadêmicas concentram-se nos câmpus Liberdade, em Redenção, e dos Palmares, em Acarape, ambos no Ceará, e no de São Francisco do Conde, na Bahia.

 

 

Tags: