SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

UnB começa a rediscutir o sistema de cotas para negros nesta quinta-feira

Após 10 anos de implantação do programa, instituição vai debater os resultados durante seminário

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/06/2013 18:46 / atualizado em 05/06/2013 19:49

A Universidade de Brasília (UnB) sediará, na próxima quinta-feira (6/6), um seminário de avaliação do sistema de cotas para negros. Na ocasião, autoridades e professores da universidade e de outras insituições do Brasil vão fazer uma reflexão sobre os 10 anos da implantação do programa.

O evento, que tem como tema “Dez anos de cotas na UnB: memória e reflexão”, ocorrerá na reitoria da universidade e terá início às 8h30 e segue até as 18h30 (confira a programação abaixo). Durante o encontro serão formadas mesas redondas e promovidos debates sobre o programa de cotas da instituição.

Um das participações especiais é do Professor Ari Lima, do Departamento de Educação da Universidade Estadual da Bahia. Lima foi doutorando da UnB e durante o perído em que estava estudando, em 1998, sofreu um caso de racismo na universidade. A situação foi uma das motivações para a implatação do programa de cotas.

O idealizador do programa e coordenador do Instituto de Inclusão no Ensino Superior e na Pesquisa, professor José Jorge Carvalho, acredita que a universidade não pode acabar com o projeto. “A UnB foi a pioneira na implantação do sistema de cotas. Temos que dar continuidade à reserva dessas vagas, em articulação com a nova lei que reserva 50% das oportunidades para estudantes cotistas, não somar os dois”, afirma.

Na reunião também serão expostos dados sobre os 10 anos do sistema, coletados por meio de uma pesquisa feita pelo Decanato de Ensino de Graduação da UnB. O Instituto de Inclusão no Ensino Superior e na Pesquisa também apresentará estatísticas sobre a inclusão dos estudantes a nível nacional.

Ainda este ano, uma comissão será criada pelo Decanato de Ensino de Graduação para avaliar o programa e a continuidade da oferta de vagas para estudantes negros. Também será definida a adaptação à Lei Federal nº 12.711/2012, que define 50% das vagas em universidades federais a estudantes de escolas públicas.

História

A trajetória do sistema de cotas para negros, implantado em 2003, vai ser mostrada por meio de dados pela primeira vez no seminário. Em 2007, gêmeos idênticos se inscreveram no vestibular da UnB pelas vagas de cota, mas apenas um foi aprovado.O caso fez com que a universidade mudasse a forma de avaliação. Passou a ser exigido o comparecimento a uma entrevista pessoal. Em 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou o sistema constitucional.

Confira a programação do seminário

publicidade

publicidade