Federal Fluminense inaugura alojamento para estudantes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/06/2013 15:21 / atualizado em 19/06/2013 15:23

Os alunos da Universidade Federal Fluminense (UFF) têm agora novas instalações de moradia estudantil. O espaço foi inaugurado nesta quarta-feira, 19, em Niterói, pelo secretário-executivo do Ministério da Educação, Henrique Paim, e pelo reitor da universidade, Roberto Salles.

“O investimento nas universidades federais tem que ser permanente, porque não há só expansão, mas reestruturação também”, ressaltou Paim. “Nesse contexto, a assistência estudantil é fundamental porque a expansão envolve inclusão educacional e social.”

A nova moradia estudantil é uma antiga reinvindicação dos alunos e foi construída com recursos do Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes). O prédio tem capacidade para abrigar 348 estudantes, com dois andares, 84 quartos e área total de 4,6 mil metros quadrados. Seis ônibus circulam para o transporte de estudantes entre as unidades da instituição, a maioria localizada em Niterói. O restaurante universitário foi reformado. Também por meio do Pnaes, o MEC fez à UFF a concessão de 3,7 mil bolsas de assistência estudantil este ano.

Além das instalações de moradia, foram inaugurados os novos prédios das faculdades de Economia e de Veterinária. Os edifícios têm estrutura moderna, voltada para as atividades de ensino, pesquisa e extensão de mais de 2 mil estudantes.

A Faculdade de Economia da UFF, uma das mais antigas do país, está agora no câmpus de Gragoatá, também em Niterói, com cerca de 5 mil metros quadrados, 12 salas de aula, laboratórios e auditório. Já a Faculdade de Veterinária está localizada em prédio de seis andares, com 2,1 mil metros quadrados, dez salas de aula e outros ambientes necessários ao curso.

Expansão
O investimento total nas instalações que fazem parte do processo de expansão da UFF, por meio do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), foi de R$ 29 milhões. Nos últimos cinco anos, o Reuni proporcionou aumento de quase 100% nas vagas oferecidas pela universidade. “Existem grupos que acusam o Reuni de precarizar as universidades federais, mas eles não devem ter estudado nessas instituições há 20 anos”, afirmou Roberto Salles. “O que estamos vendo é o contrário: a UFF avançou muito.”

Na edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) deste segundo semestre, o curso de medicina da instituição fluminense é o mais procurado, com 15.504 inscritos.
Na visão de Thiago José Silva, aluno do curso de direito, a UFF vive hoje uma nova realidade, com mais cursos, vagas e assistência aos estudantes, o que gera mais oportunidades para os jovens que querem ingressar na educação superior. “A universidade mudou sua cara e abriu novas perspectivas”, disse Thiago. “Ainda assim, continuaremos lutando cada vez mais por melhores condições aos estudantes.”

Tags: