SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Inscrições para Olimpíada Brasileira de Química no RJ estão abertas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/07/2013 18:04 / atualizado em 12/07/2013 18:18

Rio de Janeiro
Alunos dos três anos do ensino médio podem se inscrever, por meio de suas escolas, na 8ª Olimpíada de Química do Rio de Janeiro, que é a etapa estadual da Olimpíada Brasileira de Química (OBQ), prevista para 2014. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelos professores que representarão suas escolas pelo site. Elas se estenderão até o próximo dia 9 de agosto.

A competição é organizada pelo Departamento de Química do Centro Técnico Científico da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Colégio Pedro II e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). A primeira fase da olimpíada fluminense será feita no dia 16 de agosto, na própria escola do aluno, com prova de múltipla escolha. A segunda fase ocorrerá no dia 5 de outubro, com prova discursiva, no Campus Gávea da PUC-RJ, e envolverá os cerca de 40 a 50 melhores classificados na fase anterior.

Os medalhistas da etapa estadual são inscritos na OBQ e podem vir a competir também na Olimpíada Internacional de Química.

O coordenador de graduação de química da PUC-RJ, André Pimentel, avaliou hoje (12) em entrevista à Agência Brasil que a olimpíada é uma oportunidade de os alunos do ensino médio fazerem uma prova de alto nível. “Acabam ganhando uma medalha e se sentem motivados [a estudar]”. Pimentel disse que os estudantes sentem retribuído, de certa forma, o esforço que fizeram para concorrer às primeiras colocações. “Se ganhou uma medalha de bronze, passa a estudar mais para ganhar uma de prata. Se ganhou uma de prata, estuda mais para ganhar uma de ouro. A competição em si é motivadora”, ressaltou.

Além dos alunos, disse que a competição atinge também outro grupo importante, que são os professores de química que, com a prova, conseguem nivelar o ensino. “Pela prova, o professor vê se o ensino dele está adequado ou não”. Muitos professores, inclusive, fazem a prova para saber como está o seu conhecimento na matéria. “A gente acredita que a olimpíada atinge tanto o aluno como o professor. E o professor acaba ajudando nesse processo de garimpar alunos para estudar química”, disse.

Não há limite para inscrição de alunos por escola. No ano passado, 2.500 alunos foram inscritos por 100 escolas. O número ficou abaixo do esperado devido à greve que ocorreu na área da educação. Este ano, até agora, 70 escolas já inscreveram seus alunos e a expectativa é superar o número de concorrentes na primeira fase da etapa estadual da competição, em 2012.
Tags:

publicidade

publicidade