Ministério da Saúde muda regras do Mais Médicos - Eu, Estudante
SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Ministério da Saúde muda regras do Mais Médicos

Residentes e participantes do Provab terão de declarar, no ato da inscrição, que desistirão desses programas para participar do Mais Médicos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/07/2013 20:17 / atualizado em 18/07/2013 20:30

O Ministério da Saúde reforçou o sistema de inscrição do programa "Mais Médicos". Foram adotadas novas regras para a análise da documentação dos médicos e para a eventual desistência dos inscritos. A partir desta sexta-feira (19), os candidatos que fazem residência e os participantes do Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab) deverão declarar, no ato da inscrição, que estão dispostos a desistir da vaga para aderir ao Mais Médicos.
 
“O primeiro interesse que tem que ser atendido é o interesse da população, sobretudo aquela que não tem médicos perto de onde vive e trabalha. Estamos estimulando os médicos brasileiros a participar em  do programa, mas não queremos ninguém que esteja fazendo qualquer tipo de sabotagem para atrasar um programa que visa oferecer médicos para a população”, afirma o ministro da Saúde Alexandre Padilha.
 
Para homologar a participação no programa Mais Médicos, será preciso entregar declaração impressa do desligamento da residência médica ou do Provab, emitido pela coordenação dos programas. A medida visa certificar a real intenção dos profissionais a participar do Mais Médicos. Quem fizer a homologação mas não comparecer ao início das atividades ou desistir nos primeiros seis meses, será excluído do programa e impedido durante seis meses de se inscrever novamente. Os reincidentes ficarão impossibilitados em caráter definitivo de voltar a participar do programa. A inclusão desta regra no edital será publicada no Diário Oficial desta sexta-feira.
 
Boicote
A Ouvidoria do Sistema Único de Saúde entrará em contato com os profissionais que já se inscreveram no programa e que apresentem inconsistência no cadastro. A medida é para apurar a suspeita de boicote ao programa Mais Médicos. O Ministério recebeu denúncias de que grupos estariam disseminando pelas redes sociais propostas que visam inviabilizar e atrasar a implementação da chamada de profissionais. O plano seria gerar um alto número de inscrições formais e, posteriormente, provocar uma desistência em massa.
 
As mudanças serão comunicadas aos inscritos no programa por telefone ou por e-mail. As inscrições para o Mais Médicos continuam abertas e podem ser feitas pela internet até 25 de julho.

Com informações da Agência Saúde.
Tags:

publicidade

publicidade