SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Alunos da moradia estudantil se negam a abandonar sala ocupada na UnB

Manifestantes reivindicam manutenção de alugueis de imóveis enquanto a Casa do Estudante não fica pronta. Ocupação começou na quarta-feira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/08/2013 15:36 / atualizado em 16/08/2013 16:09

Gustavo Aguiar

Os estudantes da Universidade de Brasília (UnB) que protestam contra a decisão da instituição de desocupar apartamentos da moradia estudantil continuam acampados em uma sala do Instituto Central de Ciência (ICC Sul), no Câmpus Darcy Ribeiro. A mobilização começou na tarde da última quarta-feira (14), quando cerca de 20 estudantes decidiram tomar a sala BT-260 do Minhocão como maneira de pressionar a reitoria a reconsiderar os desalojamentos.

A universidade mantém 12 apartamentos alugados desde o início da reforma da Casa do Estudante Universitário (CEU), em 2011. Na última semana, o Decanato de Assuntos Comunitários (DAC) decidiu rescindir o contrato de três imóveis por considerar abusivo o aumento no preço dos aluguéis. Os representantes da Associação de Moradores da CEU, no entanto, negam que o aluguel dos imóveis tenha encarecido desde então, e acusam a instituição de superfaturamento nas contas destinadas ao pagamento do serviço.

Segundo a decana de assuntos comunitários, Denise Bontempo, dos 32 estudantes que moram em imóveis alugados pela universidade, seis estudantes terão que ser realocados. Outros 409 alunos da assistência optaram por receber o auxílio moradia, no valor de R$ 530.

Ao todo, pelo menos 30 universitários que dependem da moradia estudantil fazem revezamento para conseguir cobrir o máximo de tempo possível dentro do prédio. Acampados na sala, os alunos têm tomado banho e se alimentado nas dependências da universidade. A sala passou também a abrigar calouros vindos de fora do DF que foram aprovados no último vestibular e ainda não tem onde morar.

Na noite de ontem, um grupo de 17 pessoas dormiu no local, entre eles o estudante Heitor Claro, 27 anos, aluno de economia. Ele conta que os manifestantes foram hostilizados por três seguranças da UnB, que exigiram a desocupação imediata do local. O grupo passou a usar a sala como sede do Centro Acadêmico da Assistência Estudantil, espaço reivindicado há anos, mas que nunca foi cedido pela UnB.

Hoje, o grupo fará uma reunião para decidir como o movimento será encaminhado. Além da exigência de que a UnB mantenha os estudantes nos apartamentos alugados, os manifestantes reivindicam melhorias nos benefícios atualmente oferecidos para os estudantes da assistência estudantil. Na próxima segunda-feira (19/8), os estudantes devem se reunir com o reitor da universidade, Ivan Camargo, para discutir o assunto.
Tags:

publicidade

publicidade