SIGA O
Correio Braziliense

Dissertação aponta que graduados na UnB contribuem com 2% do PIB do DF

Estudos em Gestão Econômica de Finanças Públicas analisam a importância da Universidade de Brasília como instituição econômica e traçam perfil do ex-aluno de graduação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/09/2013 15:32 / atualizado em 06/09/2013 15:36

Agência UnB

Mariana Lozzi/Facto Agência de Comunicação
Cleison Fernando Lucas é autor da dissertação de mestrado que revelou novos indicadores financeiros sobre os ex-alunos da Universidade de Brasília (UnB). Segundo a pesquisa, a renda dos estudantes da UnB formados anualmente equivale a 2% do Produto Interno Bruto (PIB) do Distrito Federal, avaliado em R$ 149,906 bilhões em 2010, período de referência do estudo. "Essa participação mostrou-se maior do que a de alguns setores da economia como a Agropecuária que, no DF, contribui com 0,9% do PIB", compara. Cleison Lucas é aluno do curso de Gestão Econômica de Finanças Públicas, primeiro mestrado oferecido exclusivamente aos técnicos-administrativos da Universidade de Brasília.

Além de constatar qual a contribuição dos egressos para o PIB, Cleison Lucas baseou-se na amostra analisada para traçar o perfil profissional do ex-aluno de graduação da UnB. Concluiu que 21% se mudam para outras cidades ao terminar o curso, 27% trabalham em áreas que não são as de suas formações, 67% trabalham no setor público e 33%, no setor privado. Entre os empregados no setor público, a média salarial é de R$ 9.328 e, no setor privado, de R$ 8.513. A pesquisa também revela que a renda das mulheres é, em média, 30% inferior à dos homens, tanto no setor privado quanto no público.

A pesquisa foi realizada para conclusão da disciplina Análise Econômica da Instituição Universidade, ministrada pelo professor Jorge Madeira Nogueira. A proposta era estudar a UnB sob a ótica de uma instituição produtiva, com potencial para impulsionar ou estagnar o crescimento do Distrito Federal. Jorge Nogueira integra o corpo docente do curso de Gestão Econômica de Finanças Públicas, é coordenador do Centro de Estudos em Economia, Meio Ambiente e Agricultura (CEEMA) e diretor do Centro Integrado de Ordenamento Territorial (CIORD).

Mariana Lozzi/Facto Agência de Comunicação
Professor Jorge Madeira Nogueira (esquerda) e Cleison Fernando Lucas (direita)

METODOLOGIA
Cleison Lucas foi um dos sete orientandos do professor Jorge Nogueira. O aluno analisou o impacto da formação de mão de obra pela UnB no Distrito Federal entre 2000 e 2010. O método estatístico usado consistiu em estipular uma amostra de alunos para a população total de graduandos da UnB. "Basicamente, fiz uma média entre as rendas dos ex-alunos analisados e a apliquei aos 20 mil graduandos que a UnB formou entre 2000 e 2010", explica.

Dos 81 cursos ofertados pela universidade em 2010, Cleison Lucas selecionou 19 (Administração de Empresas, Ciências Econômicas, Direito, Enfermagem, Medicina e todas as Engenharias) que, juntos, formaram aproximadamente dez mil alunos entre 2000 e 2010. O mestrando entrou em contato com cinco mil desses egressos e obteve as informações de que necessitava para o estudo.

Jorge Nogueira lembra que o impacto das rendas analisadas não é suficiente para descrever a participação da universidade na economia do DF, já que a análise restringiu-se aos alunos de graduação. Professor e aluno estimam que, caso esse mesmo estudo fosse feito levando em conta todas as atividades da UnB como pesquisa, pós-graduação, geração de patentes e renda dos servidores, os resultados corresponderiam à média entre 6% e 10% do PIB do Distrito Federal.

DIRETRIZES
Finalizadas as sete dissertações de mestrado, o professor pretende unir os resultados das pesquisas em um artigo. No próximo semestre, planeja dar continuidade à disciplina, com o intuito de aprofundar as análises e atingir resultados cada vez mais precisos. "Tudo partiu da importância que dou ao monitoramento das atividades desempenhadas dentro da universidade. Não basta fazer, temos que comprovar a qualidade daquilo que produzimos", conclui Jorge Nogueira.

O CURSO
O curso de Gestão Econômica de Finanças Públicas foi criado em 2011, resultado de parceria entre o Decanato de Gestão de Pessoas e o Programa de Pós-Graduação em Economia. A ideia de fundar a disciplina Análise Econômica da Instituição Universidade surgiu quando Márcio Martins Pimentel, ex-decano de Pesquisa e Pós-graduação, apresentou a Jorge Nogueira uma pesquisa realizada no complexo universitário de Boston. O estudo analisava o impacto econômico causado pelas universidades da região e traçava relações entre a tecnologia produzida nas instituições e o crescimento da cidade. "Ao encararem as universidades como unidades produtivas, os resultados comprovaram que as instituições eram imprescindíveis para o desenvolvimento de Boston", explica o professor.
Tags: