SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

23 cursos da UnB são cinco estrelas, segundo o Guia do Estudante

Qualidade do corpo docente é fator chave para o bom desempenho, segundo coordenadores dos cursos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/09/2013 19:39 / atualizado em 27/09/2013 19:46

Agência UnB

A Universidade de Brasília conta com 23 cursos cinco estrelas na edição 2014 do Guia do Estudante (GE), da editora Abril. As classificações variam entre Bom (3), Muito bom (4) e Excelente (5). A lista constará no GE Profissões Vestibular 2014, que passa a circular nas bancas a partir do dia 11 de outubro de 2013.

Para o decano de Ensino e Graduação Mauro Rabelo, a quantidade de cursos bem avaliados reflete a qualidade do ensino ministrado na instituição. “Em geral, a população está atrás de uma formação profissional de qualidade. Isso repercute positivamente na demanda para os cursos”, explica.

Realizada anualmente, a avaliação do Guia de Estudante se desenvolve ao longo de nove meses. Em 2013, foram avaliados cerca de 27 mil cursos superiores no país. As estrelas que cada curso recebe são resultado da média das notas atribuídas por avaliadores de diversas instituições de ensino superior (coordenadores de cursos, diretores, etc.). Para minimizar distorções, são descartadas duas notas: a maior e a menor nota recebida por cada curso. É feita, então, uma média de quatro notas válidas.

Confira a lista dos cursos cinco estrelas. 

FOTO /UNB

O Guia do Estudante avaliou 48 cursos da UnB. Destes, 24 obtiveram quatro estrelas, e o curso de Agronegócios e Agropecuária do campus Planaltina ficou com três estrelas. Clique aqui para ver todos os cursos cinco, quatro e três estrelas da UnB.

Darli Augusto, coordenador da graduação em Engenharia de Redes de Comunicação, destaca que a boa qualificação pode ser atribuída ao comprometimento dos alunos, que se envolvem em projetos desde muito cedo no curso. “Esse tipo de atividade acaba por nos trazer qualificações positivas, não só do Guia do Estudante. Também tivemos uma ótima posição no Enade”, comenta.

Alguns coordenadores acreditam que uma boa classificação aumente a procura pelo curso. O professor Jayme Leiro Filho cita o caso da Biblioteconomia. “Já tive alunos que me declararam que escolheram o curso, pela classificação nacional”, relata Jayme. O coordenador da graduação em Direito, Othon Lopes, concorda. “Hoje, no mercado de trabalho, uma qualificação diferenciada é uma porta que se abre mais firme, por isso os alunos procuram isso antes de optar por um curso”, completa.

Hoje, o estudante está mais criterioso ao fazer sua escolha no vestibular, pois sabe que isso impactará diretamente no futuro profissional. É o que afirma Edson Farias, coordenador do curso de Ciências Sociais. “Embora não seja uma avaliação oficial, é uma publicação que tem uma boa penetração e certa tradição, por isso os candidatos recorrem a ela na hora de optar por um curso” comenta o professor.

A avaliação positiva do Guia do Estudante também é uma forma de prestar contas da qualidade dos cursos para a sociedade. “É esse tipo de classificação que nos representa perante a população, então é importante para nós mostrar que somos merecedores de uma nota excelente”, disse Ângela Patrícia Santana, coordenadora do curso de Medicina Veterinária.

 

Tags:

publicidade

publicidade