SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudante da UnB expõe obra no exterior

laíse frasão criou escultura que foi incorporada ao acervo permanente do ministério das relações exteriores. intitulada brasília, a peça está exposta em embaixada na américa central

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/10/2013 15:27 / atualizado em 02/10/2013 16:12

Agência UnB

Acervo Itamaraty/Divulgação
Era para ser só um trabalho da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, mas a escultura criada pela maranhense Laíse Frasão Barros chamou a atenção de especialistas em Arte nacionais e internacionais. O projeto da estudante da UnB foi um dos 20 ganhadores do II Concurso Itamaraty de Arte Contemporânea, promovido em 2012 pelo Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores (MRE). “A ideia era fazer uma escultura com 30 centímetros, aí resolvi fazê-la maior e mandá-la para o concurso. Fiquei muito surpresa”, afirma a jovem artista.
Além do prêmio no valor de R$ 15 mil, Laíse teve sua escultura em chapa de aço incluída no acervo permanente do Ministério das Relações Exteriores (MRE). A obra de um metro que leva o nome da capital do país, Brasília, está atualmente exposta na Embaixada do Brasil na cidade de Belmopan, em Belize, pequeno país da América Central.

Laíse conta que foram cerca de três meses entre a concepção e a finalização do trabalho. A inspiração para a obra veio da própria cidade que dá nome à escultura. “O aço foi o material que achei que poderia trabalhar melhor com as cores da cidade, o marrom do chão batido”, conta a estudante. Ela explica ainda que o trabalho de Oscar Niemeyer, muito presente na paisagem de Brasília, foi outro referencial. “Busquei trabalhar as formas curvas, fazendo referência às obras de Niemeyer”.

PROJETOS PREMIADOS
A estudante, que está prestes a se formar, não tem projetos só no campo das Artes Plásticas. Já teve trabalhos premiados na área de Design e Construção Civil. Laíse foi finalista, também em 2012, do Concurso Concept Design Brit Award, que tem o objetivo selecionar projetos de mobiliários de jovens talentos. Na competição, promovida pela revista Casa Claudia e a empresa Skitsch, a aluna da UnB apresentou a Cadeira Yamí.

Laíse também assina, em parceria com o colega de curso Lucas Batista de Abreu, o projeto arquitetônico de reforma do espaço utilizado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE). “O ponto forte desse projeto foi a história do DCE. Nossa maior preocupação foi criar um ambiente agradável e de resgate histórico das organizações sociais relacionadas ao movimento estudantil”, explica Laíse. O projeto da dupla também foi escolhido por meio de concurso. Saiba mais aqui.
 
Para ela, os concursos são a forma mais democrática e justa de conseguir um bom projeto. “A gente sabe que poucas pessoas têm a chance de conseguir uma formação acadêmica, e abrir esses espaços é de extrema importância”, defende. Laíse espera, agora, poder continuar com seus trabalhos. “Penso em ter um escritório multidisciplinar em que possa trabalhar Arquitetura, Arte, Design, com profissionais de outras áreas, até porque a Arquitetura é uma linguagem artística”.
Tags:

publicidade

publicidade