SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

ENSINO SUPERIOR »

Sisu: agora é com o estudante

O prazo para o cadastro no Sistema de Seleção Unificada termina sexta-feira. A dica àqueles que não zeraram a redação do Enem é entrar no site diariamente para tentar garantir uma vaga, pois a nota de corte muda com as inscrições

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/01/2014 10:15 / atualizado em 07/01/2014 11:08

Manoela Alcântara , Ana Pompeu

Ed Alves
O número de instituições públicas de ensino superior que aderiram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como forma de seleção cresceu 125% nos últimos quatro anos. Passou de 51, em 2010, para 115, em 2014. A Universidade de Brasília engrossa as estatísticas. Esta será a primeira vez que a UnB utilizará o Enem, e, por isso, não fará o vestibular comum do início do ano. Inexperientes no sistema de ingresso, os estudantes brasilienses precisam ficar atentos ao modelo de seleção. As inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) começaram ontem e vão até a próxima sexta-feira, exclusivamente no endereço eletrônico www.sisu.mec.gov.br. Todo o processo depende do candidato e ainda exige uma estratégia, pois, a partir da nota de corte lançada diariamente, é possível ter uma noção das possibilidades de aprovação.

Em todo o país, foram disponibilizadas 171.401 vagas pelas 115 instituições — 55 universidades federais, 40 Institutos Federais e 20 faculdades estaduais. Para a UnB, são 1.986 oportunidades, em 88 cursos. Para se cadastrar, os estudantes precisam ter obtido nota acima de zero na prova de redação. Cada um pode se inscrever em até duas opções pelo sistema de cotas sociais, definido pela Lei nº 12.711, de 2012, pela ampla concorrência ou por outras ações afirmativas eventualmente adotadas pela universidade escolhida.

Ao todo, a UnB disponibilizou 26% das vagas aos que concluíram todo o ensino médio na rede pública de ensino, pretos, pardos ou indígenas e que têm renda salarial inferior a 1,5 salário mínimo. Além disso, são 20% destinados às reservas para negros, o que totaliza 46% das oportunidades em ações afirmativas. De acordo com a Lei nº 12.711, em 2014, pelo menos 25% das oportunidades devem ser reservadas para os estudantes das escolas públicas. Até 2016, serão 50%.

O sistema faculta ainda às instituições a adoção de um bônus. Pode ser uma pontuação extra a ser acrescida à nota obtida no Enem. Esta também é uma possibilidade na UnB. “Quem mora em Ceilândia, no Gama ou em Planaltina e concluiu dois anos do ensino médio em escola pública fará jus a um bônus de 20% na nota antes da classificação”, explica a decana de Ensino e de Graduação em exercício da UnB, Maria de Fátima Ramos Brandão.

Atenção
Segundo ela, os benefícios existem, mas algumas pessoas deixam de usufruir por não os conhecerem. No entanto, a decana faz um alerta para que os candidatos mantenham a atenção durante a escolha da modalidade de concorrência. “Caso falte algum documento na hora da matrícula, eles perderão a vaga”, disse. Se a opção foi pelas cotas sociais, por exemplo, é preciso ter diploma comprovando a conclusão integral do ensino médio em escola pública. No caso de rendimento abaixo de 1,5 salário mínimo, são exigidos a declaração assinada por quantas pessoas compõem a família, o comprovante de renda dos meses de setembro, outubro e novembro, entre outros documentos.

É preciso estar atento a todos os detalhes para não comemorar a aprovação e depois ser reprovado no ato do registro. A UnB divulgou um edital com as normas para o ingresso em 2014 pelo Sisu. Todos os interessados em participar devem ler as informações previstas no Termo de Adesão da UnB ao Sisu, no endereço www.cespe.unb.br/vestibular/acessosisu_14_1. O resultado da primeira chamada será divulgado no próximo dia 13, e da segunda, em 27 deste mês (leia quadro).

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Educação, até as 18h30 de ontem, 1.058.000 de candidatos haviam concluído o cadastro do Sistema de Seleção Unificada. Em 2013, no primeiro dia, esse número ficou em 593.453. Uma das estratégias que os candidatos de 2014 e os próximos a pleitearem uma vaga no ensino superior podem traçar é entrar no site do Sisu todos os dias para conferir a nota de corte para o curso e instituição que desejam.

Eles podem trocar a preferência diversas vezes até as 23h59 do próximo dia 10, quando o cadastro será encerrado. Este ano, eles terão a chance de optar por 4.723 cursos. Em 2010, eram 1.319, um crescimento de 258%. “Estamos chegando a um número muito expressivo de universidades federais no Sisu. Este ano, são 90% delas, nem todas dispobilizam o total de vagas ainda. Os Ifs (Institutos Federais) aderiram 100%”, afirmou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Chances em todo o país Apesar da adesão, na avaliação da estudante Vitória Vieira, 17 anos, o Sisu tem prós e contras. A jovem pretende cursar medicina e tem Brasília como prioridade. “Passei a vida estudando para entrar na UnB. Neste ano, o esquema mudou. Acho que, para quem é do interior do país, facilita muito. No meu caso, nem tanto”, diz. Ao mesmo tempo, ela lembra que, em um curso como o dela, ter a possibilidade de escolher duas instituições de ensino superior após analisar a nota de corte é uma vantagem.

O ideal seria permanecer em Brasília. “Mas o Sisu abre oportunidades. Estou pensando nas universidades federais de Minas Gerais (UFMG) e do Rio de Janeiro (UFRJ) como segunda opção. Caso não passe em Brasília, posso mudar de cidade”, afirma. Vitória pretende tentar a UnB, mas também vai fazer a prova do vestibular da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs) no próximo fim de semana. “Estou bastante esperançosa”, diz.

O processo dá a oportunidade dos aprovados estudarem em 453 municípios em todo o país. Nesta edição, Minas Gerais liderou o ranking com o maior número de vagas disponíveis pelo Sisu — foram 20.029 no total. O Rio de Janeiro vem logo atrás, com 16.740, e a Bahia ocupa a terceira posição, com 12.459. Os três cursos com maior oferta são: pedagogia, administração e matemática.

Um dos destaques feitos pelo ministro Aloizio Mercadante é que a oferta para o curso de medicina, que cresceu 59,8% nesta edição do Sisu. Aumentou de 1.830 oportunidades, em 2013, para 2.925. Os cursos de engenharias somam mais de 25 mil vagas. Em um panorama geral, o número de oportunidades ofertadas cresceu 258% em quatro anos. Em 2010, eram 47.913 e, em 2014, 171.401.

Quando o assunto é fazer parte da Lei das Cotas, algumas instituições ultrapassam o percentual de 25% exigido por lei para este ano. Atualmente, 61 universidades e Institutos Federais reservam 50% ou mais de vagas para a reserva social. No DF, além dos 26% ofertados pela UnB, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB), 60,2% das vagas são para cotistas. (MA)

Tags:

publicidade

publicidade