SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudantes da Gama Filho e da UniverCidade protocolam documento no Planalto

Alunos reuniram assinaturas de deputados e pretendem ser recebidos pela presidente no Palácio do Planalto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/02/2014 17:43 / atualizado em 12/02/2014 18:11

Estudantes da Universidade Gama Filho e da UniverCidade, ambas controladas pelo grupo Galileo, no Rio de Janeiro, vão protocolar um documento com reinvindicações no Palácio do Planalto no fim da tarde desta quarta-feira (12/2). O grupo espera ainda ser recebido pela presidente Dilma Rousseff.

Os alunos pedem a intervenção do Ministério da Educação (MEC) nas duas instituições e têm o apoio da bancada federal fluminense na Câmara dos Deputados para agilizar o processo caso aprovado, segundo a assessoria da deputada Jandira Feghali, coordenadora da bancada e líder do PCdoB na Câmara.

Em janeiro, o Ministério da Educação (MEC) descredenciou a Universidade Gama Filho e o Centro Universitário da Cidade (UniverCidade), ambos com sede no Rio de Janeiro. Os motivos foram a baixa qualidade acadêmica, comprometimento financeiro grave da mantenedora e a falta de um plano viável para solucionar o problema.

Os estudantes devem receber os documentos necessários à transferência para outras instituições de ensino entre os dias 25 e 28 de fevereiro. O prazo foi acertado na audiência especial desta segunda-feira (3), na 4ª Vara Empresarial, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Caso o Grupo Galileo, mantenedor das duas instituições, não cumpra o período determinado, pagará multa única de R$ 100 mil, acrescida de R$ 2 mil, a cada dia de descumprimento, por aluno que não receber a documentação.

Para amparar o estudantes prejudicados com o descredenciamento, a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) divulgou edital para convocar as instituições de educação superior do Rio de Janeiro para garantir a transferência assistida. Porém, os alunos não aprovaram a medida, já que muitos faziam parte do programa Universidade para Todos (ProUni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), e temiam perder as bolsas de estudo.

Com informações da Agência Brasil
Tags:

publicidade

publicidade