SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

PARALISAÇÃO

Servidores da UnB entram em greve por tempo indeterminado

Representantes da categoria se reúnem hoje com a reitoria para discutir as reivindicações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/03/2014 14:48 / atualizado em 17/03/2014 18:57

Servidores técnico-administrativos das universidades começaram hoje (17/3) greve nacional por tempo indeterminado. Os trabalhadores da Universidade de Brasília (UnB) têm reivindicações locais. Entre elas, o restabelecimento da carga horária de 30 horas semanais, reconhecimento dos diplomas de mestrado e doutorado feitos em países do Mercosul e a não implementação do ponto eletrônico.Os servidores também pedem que seja revogada a terceirização do Restaurante Universitário (RU) e a cessão dos servidores do Hospital Universitário à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Os serviços da Biblioteca Central (BCE) foram suspensos. A prefeitura e o almoxarifado central também foram fechados. A garagem da UnB e o serviço de vigilância trabalha com 50% do pessoal. O restaurante universitário funciona normalmente.


O comando local de greve se reuniu hoje, às 15h, com a administração da reitoria para discutir as pautas da paralisação. Ficou decidico que a reivindicação pela 30 horas semanais será discutida pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A decisão da reitoria de utilizar ponto eletrônico e aumentar os preços do RU foram revogadas e, no que diz respeito à concessão dos servidores à Ebserh, a reitoria declarou que cada caso será analisado especificamente.

A administração da universidade, todavia, pediu a reabertura da biblioteca e outros serviços suspensos e não retrocedeu na decisão de não revalidar os diplomas de mestrado e doutorado obtidos em países do Mercosul e vai lançar nota aos servidores explicando detalhadamente a posição.

Dia parado nas universidades
Uma paralisação nacional de servidores públicos federais está marcada para a quarta-feira (19/3), da qual os professores de universidades federais farão parte. Em cada instituição, os docentes terão autonomia para desenvolver atividades.

Em Brasília, está prevista uma manifestação em frente ao Ministério do Planejamento, em conjunto com outras categorias, a partir das 9h. O ato reivindica melhorias no serviço público, cobra reunião dos servidores com o ministério do planejamento e audiência com a ministra Miriam Belchior.

Tags:

publicidade

publicidade