SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Parque aquático da UnB volta a funcionar

Após oito anos sem uso, piscinas são reabertas junto com inauguração do Centro de Excelência em Saltos Ornamentais da universidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/03/2014 17:50

Agência UnB

Hugo Costa/UnB Agência
O parque aquático da Universidade de Brasília foi reinaugurado na manhã desta terça-feira (18). A área de 2.241 m² localizada no Centro Olímpico (CO) da Faculdade de Educação Física (FEF) estava sem uso desde 2006, quando as três piscinas do complexo foram interditadas por problemas estruturais. Agora, volta a funcionar com o nome de Parque Aquático William Passos, em referência ao professor responsável pelo ensino de natação na FEF por 40 anos, falecido em 2008.

“Esse parque aquático representa muito para a comunidade universitária, onde estudantes aprendem a ensinar, [...]tem muitas histórias, e todas passam pela pessoa do professor William Passos”, lembrou o diretor da Faculdade de Educação Física, Jake Carvalho do Carmo. A reabertura do parque aquático da UnB foi marcada pela inauguração do Centro de Excelência em Saltos Ornamentais da UnB, e contou com a apresentação de salto do atleta olímpico Hugo Parisi.

A solenidade reuniu autoridades, estudantes, professores, esportistas e comunidade externa à universidade. Entre eles, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), o representante da Secretaria Nacional de Esportes de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, José Roberto Gnecco, o secretário de Esportes do Distrito Federal, Júlio César Ribeiro, o presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes, o representante da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), Mário Ferro Júnior e a professora Solange de Cássia Elias Passos, esposa do professor William Passos, homenageado no evento.

PARQUE AQUÁTICO
As três piscinas – olímpica, semi-olímpica e tanque de saltos –, que compõem o parque aquático da UnB,  foram interditadas em 2006 por problemas de infiltração e vazamento que ocasionavam desperdício de água. De acordo com o diretor do Centro Olímpico, André Luiz Teixeira Reis, o nível de água das piscinas chegava a baixar um metro por noite.

O laudo técnico que confirmou o problema, no entanto, só saiu em 2009. No mesmo ano, foi aprovada emenda parlamentar do então deputado federal Rodrigo Rollemberg, hoje senador, no valor de R$ 600 mil para revitalização das piscinas. Os recursos foram repassados pelo Ministério da Educação (MEC) à UnB um ano depois.

As obras de revitalização das piscinas do Centro Olímpico da UnB tiveram início em dezembro de 2011 e previa-se a conclusão dos trabalhos em menos de um ano. O restauro ficou orçado em R$ 1,2 milhão, pagos com recursos próprios da UnB e de emenda parlamentar.

“Essa reforma foi barata pelo que ela significa”, diz o filho do professor que dá nome ao parque aquático da UnB, o jornalista Willian Passos Filho. O presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes, concorda. “Essa inauguração modifica e transforma a história dos saltos ornamentais”, enfatiza.

O reitor da UnB, Ivan Camargo, aproveitou para agradecer os parceiros que viabilizaram a retomada das atividades do parque aquático, entre eles o Ministério do Esporte, responsável pelos recursos que impulsionaram a criação do Centro de Excelência em Saltos Ornamentais da UnB. “Queremos ver o reflexo disso nas Olimpíadas de 2016”, pediu aos atletas presentes.
Tags:

publicidade

publicidade