SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

SHOW »

Depois de ajudar museu da UnB, Guns toca para 11 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/03/2014 10:36 / atualizado em 26/03/2014 10:58

Bruno Peres
A banda norte-americana Guns N’ Roses se apresentou na noite de ontem, no Ginásio Nilson Nelson, para cerca de 11 mil pessoas, segundo a assessoria de imprensa do show. Por volta das 20h50, a banda brasiliense Plebe Rude abriu a apresentação da atração internacional. O grupo, liderado pelo polêmico Axl Rose, subiu ao palco às 22h10 — eram previstas 2h20 de apresentação. O grupo de Los Angeles começou o show com a música Chinese Democracy; seguida de Welcome to the jungle, It's so easy e Mr.Brownstone.

Houve relatos de tumulto na entrada do ginásio. Policiais e seguranças presentes ao local afirmaram ao Correio que os problemas nas filas foram resolvidos em pouco tempo e que as maiores aglomerações ocorreram no estacionamento. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar não registraram incidentes mais graves ou pessoas feridas. A assessoria minimizou o tumulto e disse que houve apenas ansiedade e correria no momento em que os portões foram abertos.

Campanha

Em Brasília desde segunda-feira, o Guns N’ Roses manifestou apoio à campanha dos alunos da Universidade de Brasília (UnB) pela contratação de técnicos para o Museu de Anatomia Humana. A imagem, que mostra os músicos segurando cartazes com os dizeres “Anatomia prática” e “#Anatojá”, teve mais de 1,2 mil curtidas, além de quase 300 compartilhamentos até o fim da tarde de ontem. A visita, ocorrida na segunda-feira, foi publicada com exclusividade pelo Correio.

Após a divulgação da presença do Guns N’ Roses, a UnB informou que o concurso para efetivação de novos profissionais, que estava previsto para ocorrer em 2013, deverá acontecer até o fim deste ano. Reitor da instituição, Ivan Camargo conta que as vagas foram extintas pelo Ministério da Educação (MEC) e que uma das alternativas, até a realização do concurso, seria “fazer uma parceria com o nosso hospital universitário e remanejar dois profissionais para assumir o laboratório”.

O problema, colocado em evidência graças aos músicos norte-americanos, afeta alunos dos cursos de medicina, enfermagem, nutrição, farmácia e odontologia, além de disciplinas de outras graduações. A falta de técnicos em anatomia responsáveis por manusear as peças nos laboratórios fez, inclusive, algumas aulas serem suspensas neste semestre. “É preciso contratar dois técnicos e um professor para responder pelo instituto perante o Ministério Público. A Diretoria da Universidade está empenhada, mas nos deparamos com questões burocráticas”, afirmou Selma Oliveira, coordenadora da área de morfologia da UnB.

Colaborou Thaís Paranhos

 

Tags:

publicidade

publicidade