SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Alunos de pedagogia da Faculdade Horizonte se unem em prol de causa social

Iniciativa busca oferecer cadeiras de rodas a estudantes especiais e de baixa renda

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/05/2014 19:15 / atualizado em 12/05/2014 19:31

Vanderlei Souza/Divulgação
Desde o nascimento, Paulo Henrique Oliveira, 26 anos, foi diagnosticado com problemas mentais. Porém, do ano passado para cá, a situação do jovem ficou mais complicada, por causa das várias convulsões que sofreu. Devido à piora, o rapaz passou a se sentir fraco e a ter dificuldades de locomoção. Antônia Oliveira, 49 anos, mãe de Paulo, relata que, por isso, as dificuldades para levá-lo ao hospital eram muitas. “Quando ele precisava se consultar, eu tinha que pedir ajuda aos vizinhos. Se eles não pudessem, eu ficava sem resolver. Até hoje, eu tenho problemas para sair de casa”, lamenta.

A vida de Paulo fica um pouco mais fácil a partir desta sexta-feira (9/5), quando ele recebe a doação de um protótipo de cadeira especial do projeto “Inclusão um dever de todos”. Paulo Oliveira é o primeiro beneficiado pela iniciativa que surgiu como trabalho das disciplinas de ética, moral, bioética e educação inclusiva da Faculdade Horizonte, localizada em Santa Maria. Ao todo, 12 estudantes do 2º e 3º semestres de pedagogia se uniram para ajudar 20 alunos cadeirantes da Regional de Ensino de Santa Maria. A proposta é beneficiar apenas alunos da rede pública.

O projeto conta com a parceria da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap). Segundo estudante de pedagogia Wexley Oliveira, um dos idealizadores, o uso da mão de obra dos detentos estimula a inclusão social e a ressocialização do preso. Outro benefício é que o material utilizado na confecção das cadeiras vem de bicicletas roubadas apreendidas pela Polícia. “Eles reutilizaram vários materiais que estavam esquecidos nos depósitos de delegacias”, esclarece Wexley Oliveira.

Segundo o estudante de pedagogia Vanderlei Souza, o principal desafio agora é juntar o dinheiro necessário. A barreira é superada com criatividade. “ O custo de produção das 20 mesas adaptadas é de R$ 9.986,00. Mas como a iniciativa envolve o uso de materiais sustentáveis, o preço cai para R$ 1.353,40.”

Apesar da diminuição nos gastos, os estudantes de pedagogia até agora não conseguiram patrocínio. Wexley Oliveira destaca que foi criado um blog e uma conta bancária para arrecadar dinheiro. Porém, nenhum valor foi depositado. Wexley Oliveira espera que a iniciativa seja apoiada pela Secretaria de Educação no futuro. “Se um grupo de estudantes conseguiu tornar esse projeto realidade, imagina o que o governo poderá fazer. Portanto, é possível”.

Ajude você também!
Acesse o blog do projeto
Informações: (61) 3012-1112
Tags:

publicidade

publicidade