SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudantes brasileiros buscam financiamento para estudar no exterior

Jovens aprovados em universidades de excelência têm até 15 de julho para arrecadar dinheiro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/06/2014 17:46 / atualizado em 26/06/2014 18:26

Juliana Espanhol

Breno Forte/CB/D.A Press
Dezesseis estudantes brasileiros aprovados em processos seletivos de universidades renomadas do exterior precisam de ajuda para financiar seus estudos. Por meio de uma iniciativa da Fundação Estudar, eles têm até 15 de julho para conseguir o dinheiro, que servirá para pagar despesas com mensalidade, moradia e transporte, entre outros. A maioria vai cursar graduação em instituições americanas como Yale, Stanford e Columbia.

O montante, que será arrecadado por meio de uma ferramenta de financiamento coletivo, ou crowdfunding, varia de aluno para aluno. Há jovens que precisam de R$ 5 mil, enquanto outros necessitam de até R$ 30 mil. Caso a meta não seja atingida na data limite, os doadores recebem o dinheiro de volta. A menos de 20 dias do prazo, apenas um jovem conseguiu ultrapassar sua meta inicial de R$ 10 mil.

Para doar, empresas e pessoas físicas devem acessar a plataforma Benfeitoria, onde cada aluno tem uma página na qual conta sua trajetória pessoal e profissional, além de sinalizar quanto precisa arrecadar para garantir a viagem e os estudos no exterior. A doação pode ser feita online, pelo próprio site, e cada investidor recebe uma recompensa que varia de acordo com o valor da contribuição.

Sonho

A estudante Larissa Guimarães, 17 anos, é uma das participantes. A jovem brasiliense foi aprovada para estudar jornalismo na Universidade de Columbia, em Nova Iorque. Ela diz que desde o ensino médio já desejava estudar na instituição, considerada uma das mais prestigiadas do mundo. Sua meta é arrecadar R$ 25 mil.

Ela acredita que a experiência será positiva de ponto de vista pessoal e acadêmico. “Além das oportunidades de pesquisa, que são valorizadas e bem remuneradas, a experiência da universidade nos Estados Unidos é bem diferente da do Brasil, ela é holística. Os alunos moram na universidade e depois de formados se mantêm em contato com os ex-alunos da instituição”, disse.
Arquivo pessoal

Já Danilo Herrera, 20 anos, foi aprovado em sete universidades americanas. Ele recebeu uma bolsa parcial para cursar cinema em Middlebury College, nos Estados Unidos, mas ainda precisa de R$ 20 mil para realizar o sonho. Natural de Uberlândia, Minas Gerais, ele chegou a cursar relações internacionais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas decidiu mudar de área.

Ele escolheu estudar nos EUA porque o país é uma referência na área de produção cinematográfica. “Procurei instituições que me dessem espaço para desenvolver meu próprios projetos. A  Middlebury College permite que os alunos cursem diversas disciplinas em diversas áreas, e é uma das melhores universidades de artes liberais do país”, disse.

Clique aqui para conhecer os perfis dos 16 jovens.

Tags:

publicidade

publicidade