SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Calouro de Harvard quer doar presentes de Natal para caridade

Ex-aluno do Colégio Militar de Brasília lança campanha diferente para o fim do ano. Ele prente ajudar pessoas que não têm acesso à água potável

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/11/2014 12:14 / atualizado em 26/11/2014 14:59

Ana Paula Lisboa

Arquivo pessoal
Aluno da Universidade de Harvard desde agosto deste ano, Eduardo Miranda Cesar, 19 anos, tem uma proposta diferente para seu presente de Natal deste ano. “Depois de realizar meu sonho de passar em Harvard, não consegui pensar em nada que eu pudesse pedir de presente para mim mesmo”, explica. Por isso, o jovem lançou uma campanha de arrecadação de fundos para uma instituição de caridade chamada Charity: Water, cuja missão é levar água limpa a milhões de pessoas que não têm acesso a esse recurso. Agora, o ex-aluno do Colégio Militar de Brasília (CMB) deseja divulgar a campanha e conseguir mais apoio para a iniciativa.

Eduardo conheceu a Charity: Water em uma conferência e decidiu se juntar à causa porque 100% das doações vão para projetos que fazem com pessoas tenham acesso a água potável. “Hoje em dia, são quase 1 bilhão de pessoas sem acesso a água limpa no mundo. Algo muito legal é que, depois de finalizada a campanha, a Charity: water manda coordenadas geográficas no Google Maps e fotos que te mostram exatamente para onde o seu dinheiro foi”, conta. “A ideia é, basicamente, doar os nossos presentes de Natal para a Charity: water. Isso é feito avisando a todos os amigos e familiares que gostariam de nos presentear para que, no lugar da lembrança, repassem o valor correspondente para a nossa campanha on-line. Resolvi fazer isso porque em 2014 eu realizei meu sonho grande: passei na melhor universidade do mundo. Este foi um ano que me trouxe muita felicidade, e não conseguiria pensar em nada para pedir em uma lista de presentes. Resolvi fazer algo diferente.”

Arquivo pessoal
Como ajudar
Qualquer pessoa com um cartão de crédito ou conta no PayPal pode doar e qualquer pessoa acima de 18 (ou acima de 13 com autorização dos pais) pode começar uma campanha de arrecadação. Segundo Eduardo, o pagamento é seguro e rápido. “Eu comecei a minha campanha em parceria com meu pai (Fabio Cesar), minha irmã (Thaís Cesar) e dois amigos de Brasília (Matheus Pereira e Larissa Chaves de Souza). Só que, em menos de 24 horas depois de postar no Facebook, já temos três novos membros no time e pretendemos continuar crescendo”, descreve empolgado.

“Mais do que divulgar para pessoas próximas, queremos abrir a nossa campanha e espalhar a nossa ideia para o público geral. Encorajamos doações no nosso site, mas ficaríamos ainda mais felizes se mais pessoas tomassem uma atitude semelhante, abrindo mão de presentes materiais, seja para essa causa ou qualquer outra em que elas acreditem. Natal é isso”, acrescenta.

Acesse a campanha pelo link. É possível ajudar de três formas:

1. Divulgando a ideia.
2. Fazendo uma doação.
3. Doando seus presentes de Natal: você pode criar sua própria campanha, pela Charity: water ou por qualquer outra causa em que você acredite e confie.

Arquivo pessoal
Experiência em Harvard

Confira um relato de Eduardo Miranda Cesar sobre sua estadia nos Estados Unidos e como estão sendo seus estudos universitários.

Sempre digo que ser calouro aqui me dá o privilégio de "não fazer a mínima ideia" do que eu quero estudar, porque sou bastante curioso. A decisão de curso só é tomada no segundo ano de curso. Sendo assim, esse semestre estou aproveitando para explorar aulas que vão de ciência da computação a poesia, passando também por economia.

A experiência tem superado minhas maiores expectativas, tanto em termos acadêmicos quanto pessoais. Já na minha primeira semana aqui, tive a oportunidade de conhecer o Bill Gates! Minhas aulas são desafiadoras e interessantes. Algo que eu adoro é o quanto é fácil se aproximar do professor, seja para pedir ajuda na matéria quanto para conversar sobre carreira. Sinto que estou não só aprendendo, mas integrando conhecimentos e formas de pensar. As oportunidades fora de sala são praticamente infinitas. Estou trabalhando como tutor de crianças da primeira à terceira série em uma escola pública de Boston. Também faço parte da Associação de Brasileiros de Harvard e de um grupo de danças latino-americanas.

Arquivo pessoal
O choque cultural existe. A vida aqui é corrida, e a dinâmica social é diferente: tem mais regras. As expectativas em relação ao trabalho e à ética são altas. Alunos de Harvard valorizam muito seu tempo, mas estão sempre ocupados. Não acho que seja o estilo de vida perfeito, mas felizmente aqui na universidade valoriza-se a diversidade. As pessoas são livres para agirem e se expressarem do seu jeito.
Tags:

publicidade

publicidade