SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

VIOLÊNCIA NA UNB »

Reitoria fechará CA de filosofia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/03/2015 11:19 / atualizado em 24/03/2015 12:01

Breno Fortes
Professores, funcionários e alunos do Instituto de Artes (IdA) temem novos ataques de suposto tarado no câmpus da Universidade de Brasília (UnB), na Asa Norte. O último incidente, no início da semana passada, motivou a suspensão das aulas, que voltariam a ser ministradas ontem, o que não aconteceu. Os professores se reúnem hoje para discutir quando o curso voltará a funcionar. A fim de inibir agressões, a reitoria fechará o centro acadêmico de filosofia, local que costuma abrigar pessoas de fora da comunidade acadêmica. “Depois de muita negociação, conseguimos que os responsáveis fechassem o ambiente. Agora, vamos transformá-lo em uma sala de aula”, garante Ivan Camargo, reitor da UnB.

Uma medida cautelar expedida pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) impede o homem, acusado de se masturbar em frente a uma professora e a uma aluna da universidade, de circular nas dependências da instituição. Caso contrário, será preso preventivamente. A Polícia Civil diz que o autor do assédio “tomou conhecimento da decisão judicial por meio de um oficial de Justiça” ontem pela manhã.

O reitor da UnB reitera que trabalha nesse assunto desde quando assumiu o cargo. As informações que ele obteve são de que existem mais de 13 casos de prisão e soltura do mesmo homem nos últimos dois anos. “É um trabalho sem fim. No entanto, temos algumas clarezas: quando a situação é de violência, de assalto, são casos de polícia. Havia um mito que não podia entrar polícia na universidade, nós já desconstruímos isso.” Apesar disso, policiais militares foram hostilizados por estudantes numa ronda após o incidente.

Os funcionários da secretaria do IdA lamentam as condições de trabalho e reclamam da demora da conclusão da reforma do prédio oficial do curso. “Estamos trabalhando de porta trancada. O ideal é que a sede estivesse pronta. A gente já acorda pensando no que pode acontecer”, questiona uma secretária, que não quis ser identificada. O prazo para entrega da obra é 5 de abril, segundo a Diretoria de Gestão de Infraestrutura.

Enquanto a segurança não é reforçada, as salas de aula seguem vazias. Alguns docentes defendem o retorno apenas com a conclusão da reforma. Mas, segundo o diretor do IdA, Ricardo Dourado, há um mapeamento de onde as aulas poderão ser ministradas. “Vamos encontrar um alternativa. Se os professores pararem, vamos ter que repor em julho, o que não será bom para ninguém.”

publicidade

publicidade