SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

SOLIDARIEDADE »

Jovens que fazem a diferença

Alunos da UnB criam alternativas para ajudar estudantes carentes a ingressarem em universidades públicas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/04/2015 17:34 / atualizado em 26/04/2015 17:36

André Violatti
Cobrar dos governantes soluções para as questões sociais do país é, normalmente, a postura adotada pela maioria dos brasileiros insatisfeitos com as injustiças. Mas um grupo de alunos da Universidade de Brasília (UnB) fez diferente. O desejo de promover mudanças por meio da educação motivou os jovens a abrirem um cursinho preparatório de vestibular voltado a estudantes de baixa renda. O que difere a ação de Victor, Rubenilson, Priscilla e Rodrigo de muitas outras é o fato de as aulas serem oferecidas gratuitamente.

Victor Esteves, 20 anos, é presidente e professor de física do Galt Vestibulares. Ele conta o que impulsionou a atitude desse conjunto de amigos. “Queríamos transformar o nosso tempo livre em tempo útil. Tomamos a decisão de começar a partir das férias e então fomos atrás de tudo.” As aulas ocorrem de segunda a sábado em salas de um colégio público de Brasília. De acordo com o diretor da escola, Isley Marth, os jovens o procuraram faltando apenas duas semanas para o início do curso. Segundo ele, atitudes que visam a ajudar ao próximo devem ser valorizadas e apoiadas por toda a sociedade. “Quando soube da iniciativa, fiquei superfeliz. Estou tentando ajudar como posso, pois a ideia é sensacional”, avalia.

Hoje, o cursinho atende a 50 alunos de baixa renda e conta com o auxílio de 23 professores voluntários. Toda a receita utilizada pelos estudantes e professores é proveniente de doações, voluntariado e muita vontade de ajudar. As pessoas interessadas em participar da ação devem estar cursando ou ter cursado o ensino médio em escolas públicas. Outra opção é ter sido bolsista integral em alguma instituição de ensino particular. Sofia Fernandes de Oliveira, 23 anos, é uma das diretoras do Galt e revela a motivação dos voluntários. Para ela, além das dificuldades que os alunos de escolas públicas enfrentam diariamente, ter a chance de formar indivíduos que se preocupem com a cidadania foi especialmente incentivador.

Transformação
“A educação no ensino público não é completa e, por isso, buscamos suprir essas falhas. A gente acredita estar transformando o país por meio de cada um que se forma aqui”, acredita. Segundo relatos de colaboradores, o retorno é compensador. Eles reconhecem a importância de boas ações e valorizam atitudes que ajudem a modificar o futuro de muitos jovens. Os professores elogiam o esforço durante as aulas.

É o que explica a estudante Maria Eduarda Araújo. Aos 17 anos, a moradora de Sobradinho frequenta o curso pré-vestibular à noite e chega em casa diariamente às 23h30. A jovem sonha em ser enfermeira e tem certeza de que toda a correria do dia a dia vai valer a pena. “Sem essa oportunidade, eu não estaria preparada para encarar os vestibulares, que são muito concorridos. Não posso pagar por um curso particular e sei que o auxílio deles vai me ajudar a ter bons frutos”, conclui. Outra iniciativa especial envolveu inicialmente cerca de 10 alunos do curso de relações internacionais da UnB.

O Vestibular Cidadão existe desde 2004 e começou como uma espécie de monitoria. A iniciativa conta hoje com 120 alunos nos períodos vespertino e noturno. Inicialmente, as aulas eram realizadas em uma igreja na L2 Norte e, hoje, os encontros ocorrem no auditório do Colégio Elefante Branco, graças à colaboração do diretor da instituição. Os critérios para seleção dos alunos são os mesmos do Galt, bem como a gratuidade. O químico Victor da Silva Santos, 22 anos, é assessor e professor do cursinho. Segundo ele, nada é mais gratificante do que o “muito obrigado, professor” dito pelos alunos. “A melhor coisa que pode nos acontecer é ouvir o agradecimento deles e ver um sorriso enorme no rosto de cada um. Ver o sonho de pessoas que talvez não o conseguiriam sem o curso é algo único”, diz.

"Queríamos transformar o nosso tempo livre em tempo útil. Tomamos a decisão de começar a partir das férias e então fomos atrás de tudo”
Victor Esteves, presidente e professor do Galt

Fique ligado
O Galt Vestibulares funciona no Colégio Gisno, na 907 Norte. Quem quiser mais informações sobre o curso pode acessar o site galtvestibulares.com.br.
As aulas do curso Vestibular Cidadão ocorrem no Elefante Branco, na 908 sul.
Saiba mais em vestibularcidadao.com.br.

publicidade

publicidade