SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Em feira de ciências nos EUA, jovens têm palestra com vencedores do Nobel

Bate-papo com estudantes ocorreu na tarde desta terça-feira (12), como parte da programação do segundo dia da feira de ciências Intel Isef, em Pittsburgh (EUA)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/05/2015 19:58 / atualizado em 12/05/2015 20:13

Juliana Espanhol

Intel - Isef/Divulgação
Estudantes de ensino médio e técnico de mais de 70 países tiveram a oportunidade de conversar com quatro vencedores de prêmios Nobel nesta terça-feira (12). O painel sobre excelência em ciência e tecnologia faz parte da programação da Intel Isef (International Science and Engineering Fair), que ocorre até sexta-feira (15), em Pittsburgh (EUA). Os pesquisadores Martin Chalfie, ganhador do Nobel de química em 2008; H. Robert Horvitz, vencedor de medicina em 2002; Harold Kroto, que recebeu o prêmio de química em 1996; e John Mather, Nobel em física em 2006, falaram sobre a própria historia e responderam a perguntas de estudantes.

Perguntado sobre que conselho daria a si mesmo durante o ensino médio, Martin Chalfie, professor da Universidade de Columbia, afirmou que os estudantes ano devem ficar desanimados com resultados insatisfatórios. “Alguns alunos que tiram nota 7 ou 8 passam a acreditar que não são bons o bastante e chegam a desistir de disciplinas. Porém, isso não é motivo para desistir.” O cientista também defendeu amplo acesso ao ensino de ciência e tecnologia. “A ciência não tem sexo, cor ou religião, por isso, é preciso dar mais oportunidades para todos aqueles que querem fazer pesquisa.”

Harold Kroto, professor da Universidade do Estado da Florida, recomendou que os estudantes se dediquem aos estudos por interesse genuíno. “Nunca façam ciência para ganhar prêmios, e sim por interesse. Para progredir, o segredo é ter resiliência”, disse. Se tivesse uma fonte inesgotável de recursos para investir em uma causa, o cientista escolheria a educação. “Gostaria de dar oportunidade para que jovens como vocês do público pudessem estudar ciências fundamentais”, disse. As escolhas de John Mather, astrofísico da Nasa, e de Robert Horvitz, professor do Massachusetts Institute of Technology (MIT), foram fontes de energia mais baratas e evolução e desenvolvimento do cérebro, respectivamente.

A feira
A Intel Isef reúne cerca de 1,7 mil jovens cientistas até a próxima sexta-feira (15). Além de apresentarem projetos de pesquisa e vivenciarem um intercâmbio cultural, os alunos concorrem a US$ 4 milhões em prêmios e bolsas de estudo. Uma comitiva de 30 brasileiros participa do evento.

Na quarta-feira (13), os participantes apresentarão os trabalhos a um corpo de jurados. No dia seguinte, serão anunciados os vencedores das 20 categorias contempladas pela feira. O primeiro colocado de cada categoria receberá US$ 5 mil da Fundação Intel. Além disso, as escolas e feiras locais que selecionaram os finalistas receberão prêmios de US$ mil cada.

Na sexta-feira (15), sai o resultado do prêmio principal. Os bônus em dinheiro serão de US$ 3 mil, US$ 1,5 mil, US$ mil e US$ 500 para os quatro primeiros colocados, respectivamente. Instituições de ensino dos Estados Unidos e do exterior também oferecem bolsas de estudo para os alunos mais destacados.

*A jornalista viajou a convite da Intel

publicidade

publicidade