SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Pais brasileiros querem que filhos sigam carreiras tradicionais

Ser servidor público também está entre as preferências dos patriarcas segundo estudo do HSBC divulgado nesta quarta-feira (15). Ser feliz também é uma das metas dos pais para os filhos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/07/2015 12:39 / atualizado em 15/07/2015 12:57

Em tempos em que carreiras criativas fazem sucesso entre os jovens, pesquisa global do HSBC revela que a maior parte dos pais no Brasil ainda prefere que os filhos optem por profissões tradicionais, como medicina e engenharia - que aparecem com 23% e 18% da simpatia dos entrevistados; globalmente, os índices são de 19% e 11% respectivamente. Ser servidor público também é bem cotado entre os pais brasileiros, com 10% da preferência (entre os outros países, a média é de 6%).

Para 89% dos pais, um diploma de nível superior é visto como essencial para ter uma vida próspera; 63% dos entrevistados no Brasil veem fazer uma especialização como uma necessidade básica para alcançar sucesso (entre o total de entrevistados, o índice foi de 50%). No entanto, 70% das pessoas consideram a universidade inacessível para a maioria da população (internacionalmente, o índice é de 58%).

88% dos pais brasileiros estão dispostos a ajudar os filhos com os gastos da universidade (95% é a média global). 76% dos pais também pensam em custear estudos dos filhos no exterior. Outro destaque entre as famílias brasileiras, é que 87% dos pais esperam que as universidades ensinem os filhos a se tornarem independentes e financeiramente responsáveis.

Para o estudo, foram entrevistados 5.550 pessoas de 16 países: Austrália, Brasil, Canadá, China, Emirados Árabes, EUA, França, Hong Kong, Índia, Indonésia, Malásia, México, Reino Unido, Singapura, Taiwan e Turquia. A pesquisa foi realizada pela Ipsos MORI, entre março e abril de 2015. O grande ponto em comum entre pais de todas as nacionalidades é a opinião de que a educação é o grande caminho para o sucesso. 47% dos entrevistados de todas as nações acreditam que a geração dos filhos terá mais dificuldade para conseguir emprego depois de se formar do que os pais (no Brasil, o percentual é de 40%).

 

Felicidade x Carreira
Obviamente, a maior parte dos pais (64%) quer que os filhos sejam felizes. Entre os brasileiros, o número é um pouco mais baixo: 62%. Países com economias mais desenvolvidas dão mais valor para a felicidade como objetivo de vida: na França, 86% dos pais dizem que ser feliz é o mais importante para as novas gerações, enquanto no Canadá, na Inglaterra e nos EUA, os índices são, respectivamente, de 78%, 77% e 72%. Em economias em desenvolvimento, os pais sonham com uma carreira bem sucedida para os filhos na mesma proporção em que querem que eles sejam felizes.

Confira os destaques da pesquisa:

publicidade

publicidade