SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Greve de fome de estudantes da UFPB completa nove dias

Quatro alunos estão desde 23 de fevereiro sem comer em protesto contra problemas no Restaurante Universitário (RU) e na política de assistência estudantil e permanência da instituição

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/03/2016 15:40 / atualizado em 02/03/2016 17:14

 

A greve de fome de estudantes em frente a reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, completa nove dias nesta quarta-feira (2). Marcos Francisco, Jonheiny Jeronimo, Matheus Presto e Daniel Lima protestam contra problemas no Restaurante Universitário (RU) e na política de assistência estudantil e permanência. Desde 23 de fevereiro, os quatro alunos do curso de ciências sociais e psicologia estão no local, que começou a receber novos apoiadores do protesto na segunda-feira (29).

 


Segundo uma página criada no Facebook pelos alunos que participam do movimento, chamada Greve de Fome UFPB, entre os principais problemas apontados pelo grupo está o baixo número de estudantes favorecidos pelas políticas de assistência estudantil, o restaurante universitário restrito (que segundo os alunos, somente atende parte dos estudantes da instituição), e a lista de auxílio moradia, lançada em 22 de fevereiro pela universidade — com um ano de atraso, excluindo alguns estudantes em situação de vulnerabilidade social.

Ainda segundo o grupo, existem outras demandas como a desmilitarização de guardas que trabalham no restaurante universitário e a reestruturação da segurança, incluindo retirada do porte de armas. Além disso, os alunos exigem a abertura de portões do câmpus todos os dias da semana durante 24 horas, para entrada e saída da comunidade, reavalição da iluminação e treinamento para funcionários da segurança.

 

Em resposta ao Eu,Estudante, os alunos afirmam que o Restaurante Universitário (RU) não contempla alimentação para todos, incluindo alunos de baixa renda, porque não há renda suficiente para disponibilizar comida para todos.

Reitoria


Segundo nota pública da reitoria, divulgada nessa terça-feira (1º), a UFPB vem conduzindo negociações com os manifestantes e respondendo as demandas desde o início das manifestações. A administração superior da universidade informou ainda que recebeu representantes do encontro estadual de direitos humanos, professores, diretores de centros e representante da Associação dos Docentes da UFPB (Adufpb), com objetivo de estabelecer negociações para desocupação do prédio da reitoria e o fim das manifestações iniciadas em 23 de fevereiro.

Segundo a instituição foi proposta ainda uma reunião com os estudantes, que recusaram o encontro. A reitoria esclareceu ainda que recebeu documento contendo uma nova versão da pauta de reivindicações. “A UFPB reafirma o compromisso de seguir procurando uma solução negociada para o problema, assegurando que seja retomado o funcionamento normal da instituição”, diz o comunicado. Confira a íntegra da nota aqui.

 

Apoio

 

Reprodução/Facebook

 

O cantor e compositor Chico César, formado em jornalismo na UFPB, publicou um vídeo com uma mensagem de solidariedade aos quatro alunos que estão em greve de fome no câmpus da UFPB. 

 

“Eu venho aqui prestar minha solidaridade a esse jovens  Solidariedade aos jovens estudantes que encontram-se em greve de fome. Quero dizer que meu sentimento primeiro é de apreensão. E lastimo que seja necessário recorrer a esse expediente. Infelizmente, às vezes tem de ser assim", diz Chico César durante o vídeo. Confira aqui."
 

publicidade

publicidade