SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Educação Superior

Universidade Federal de Roraima tem primeiro reitor indígena do Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/03/2016 19:43

Portal MEC

 

Criada em 1989, a Universidade Federal de Roraima (UFRR) tem o primeiro reitor roraimense e descende de indígena do país. Doutor em Agronomia, Jefferson Fernandes do Nascimento, 51 anos, estará à frente da instituição nos próximos quatro anos (2016-2020) com o apoio do vice-reitor Américo Alves de Lyra Júnior, professor doutor do curso de Relações Internacionais da UFRR.

 

Segundo o novo reitor, empossado nesta quarta-feira, 10, pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, os desafios são enormes, mas a motivação é maior. “Conhecer a região e ter vivido todo o processo de ocupação e desenvolvimento regional nos dá condições para contribuir de forma mais efetiva”, afirma o reitor.

 

“Queremos, com muito diálogo e com uma gestão compartilhada, trabalhar para ampliar o ensino para os povos indígenas. Como Instituição, temos a função social de inclui-los no processo de educação superior, inclusive em pós-graduação”, acrescentou.

 

Nesse sentido, Aloisio Mercadante defendeu a criação de um mestrado para gestores em terras indígenas. De acordo com o Ministro, as universidades precisam ajudar na economia regional, criando parques tecnológicos, polos de inovação e parcerias com empresas para gerar valor agregado, principalmente na Amazônia.

 

“Precisamos formar esses jovens indígenas que vão sair das universidades e que precisam dar um passo em direção ao mestrado. Voltar para suas regiões e ajudar no desenvolvimento da agricultura orgânica ou na recuperação dos valores tradicionais é fundamental para gerar mais valor, mais emprego, mais renda e mais qualidade de vida”, concluiu Mercadante.

Atualmente, a universidade oferece 29 cursos de bacharelado, 20 licenciaturas e um curso tecnológico em três diferentes campi em Boa Vista, capital do Estado.

publicidade

publicidade