SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Deputado pede que parlamentares destinem emendas ao Projeto Rondon

Sugestão foi feita pelo deputado Alex Canziani durante palestra realizada nesta quarta-feira (18) na Câmara

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/05/2016 17:36

Agência Câmara

O presidente da Frente Parlamentar Mista da Educação, deputado Alex Canziani (PTB-PR), lançou hoje o desafio para que parlamentares destinem emendas no Orçamento ao Projeto Rondon para realizar em 2017, ano do seu cinquentenário, um número recorde de operações.

 

Por causa das restrições orçamentárias, o Projeto Rondon vem reduzindo nos últimos anos o número de municípios e estudantes atendidos. Em 2011, foram 2.860 rondonistas e 141 cidades beneficiadas. Este ano, o Projeto Rondon contará com apenas 609 participantes e 29 municípios visitados.

 

O Projeto Rondon foi o tema do ciclo de palestras Educação em Debate realizado na Câmara dos Deputados, com apresentação do gerente do programa, coronel Alexander Fortes do Nascimento, e do secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, Tenente Brigadeiro Ricardo Vieira.

 

Cidadania O Coronel Alexander Fortes explicou que o projeto é uma ferramenta para o desenvolvimento do País e o fortalecimento da cidadania do estudante universitário, contribuindo com o desenvolvimento sustentável, o bem-estar social e a qualidade de vida nas comunidades carentes.

 

“Além de desenvolver no estudante universitário sentimentos de responsabilidade social, espírito crítico e patriotismo, o Projeto Rondon contribui para o intercâmbio de conhecimentos entre as instituições de ensino superior, governos locais e lideranças comunitárias”, sustentou Fortes.

 

O programa acontece sempre nas férias escolares – janeiro, fevereiro e julho, durante duas semanas, sendo que as equipes contam com oito estudantes (na segunda metade do curso) e dois professores (cada município recebe duas equipes).

 

“Enquanto realiza um trabalho voluntário em benefício das comunidades, os rondonistas têm oportunidade de conhecer diferentes realidades físicas, sociais e culturais do Brasil; desenvolver suas habilidades acadêmicas; exercitar a cidadania; e assumir um compromisso social”, explicou o gerente do projeto.

 

As equipes são distribuídas em três áreas de conhecimento: A – Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação e Saúde; B – Comunicação, Meio Ambiente, Tecnologia e Produção e Trabalho; C - Comunicação Social (responsáveis de registrar as atividades desenvolvidas).

 

Caráter educativo
Segundo o representante do Ministério da Defesa, o Projeto Rondon não tem caráter assistencialista, mas educativo. Ele pediu apoio dos congressistas para ampliar atuação do programa, dando oportunidade aos nossos estudantes de conhecerem melhor o País e terem uma visão mais abrangente da realidade dos nossos problemas.

 

Formação Humanista
Presente à palestra, o professor de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul André Silva Carissimi, que já participou do Projeto Rondon, disse que o desafio das escolas não é formar técnicos, mas formar cidadãos, e que a iniciativa permite uma formação humanista dos seus participantes.

 

A consultora legislativa Maria Aparecida Andrés acrescentou que o projeto foi pioneiro na criação de oportunidades de mobilidade estudantil e docente para regiões diferentes de sua base.

 

Ao final do encontro, o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA), vice-presidente da Comissão de Educação da Câmara, presenteou a equipe do Projeto Rondon com um uma publicação do Instituto Fundação Getúlio Vargas sobre o Marechal Rondon, militar que inspirou a criação do programa.

publicidade

publicidade