Universidade suspende aulas em homenagem a estudantes mortos em acidente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2016 15:54 / atualizado em 09/06/2016 15:58

As aulas na Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), no leste da Grande São Paulo, estarão suspensas hoje (9) e amanhã (10), em solidariedade às famílias e amigos dos estudantes que morreram em um acidente com o ônibus que os levava para casa, no fim da noite de ontem (8), na estrada Mogi-Bertioga.

Em nota, a reitora da UMC, Regina Coeli Bezerra de Melo, manifestou pesar pela morte dos estudantes e informou que a instituição está acompanhando os desdobramentos do caso. A reitora disse que, assim que tiver a lista oficial de vítimas, divulgar os nomes das que estudavam nessa unidade de ensino.

Por motivos que ainda estão sendo investigados, por volta das 22h50 de ontem (8), o ônibus, que transportava 46 universitários e secundaristas, capotou no km 84 no da Rodovia Mogi-Bertioga, sentido litoral norte paulista. Houve impacto contra uma rocha e, ao tombar, o veículo ficou com as rodas para cima e toda o teto e a cabine ficaram destruídos. Todos os ocupantes moravam em São Sebastião e os passageiros eram alunos de várias instituições de Mogi das Cruzes que voltavam para casa.

Além do motorista, Antônio Carlos da Silva, de 37 anos, morreram no acidente pelo menos 17 estudantes. Até o fim desta manhã, o estado de saúde de três dos feridos era grave. Os demais feridos permanecem internados em estado estável. O número oficial de feridos ainda não foi divulgado.

Entre as vítimas também estavam alunos da Escola Técnica Estadual de Mogi das Cruzes. A Agência Brasil entrou em contato com a escola,, mas, até o fechamento desta edição, não tinha tido retorno.

Luto na Braz Cubas
A Universidade Braz Cubas também decretou luto oficial, mas não suspendeu as atividades acadêmicas.

Em decorrência da tragédia é grande a movimentação no Instituto Médico-Legal (IML) de Guarujá, para onde foram encaminhados os corpos. Por causa do grande número de vítimas, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) enviou um reforço de equipes para ajudar nos trabalhos e agilizar a liberação dos corpos. De manhã, seguiram de São Paulo para a cidade três médicos legistas da Superintendência da Polícia Técnico Científica, além de dois fotógrafos e três assistentes de necropsia de São Paulo. Foram convocadas ainda equipes de Santos.