SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Eleição para reitor e vice da UnB começa nesta terça na instituição

O vencedor ou vencedora ocupará o cargo no quadriênio 2016-2020. Ao todo, serão 19 seções, distribuídas nos quatro campi da UnB

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/08/2016 14:24 / atualizado em 30/08/2016 14:32

Ed Alves/CB/D.A. Press
 

Estudantes, professores e técnicos administrativos da Universidade de Brasília (UnB) escolherão, nesta terça-feira (30/8) o reitor e o vice-reitor da instituição. O vencedor ou vencedora ocupará o cargo no quadriênio 2016-2020. O processo é coordenado pela Comissão Organizadora da Consulta (COC). Para participar da consulta, os eleitores deverão se dirigir à seção eleitoral designada para cada Unidade Acadêmica ou órgão.

É necessário levar documento com foto que comprove vínculo com a Universidade (carteira de estudante ou crachá). Ao todo, serão 19 seções, distribuídas nos quatro campi da UnB. Nos locais, estarão disponíveis urnas separadas e cédulas padronizadas para cada segmento da comunidade votar.

Candidatos de três chapas concorrem no pleito aos cargos: Denise Bomtempo e José Manoel Sánchez (Chapa 93 – UnB Diálogo e Ação), Márcia Abrahão e Enrique Huelva (Chapa 94 – Diálogo para Avançar) e Ivan Camargo e Sônia Báo (Chapa 95 – Somos Todos UnB). Os números das respectivas chapas estarão impressos nas cédulas de votação.

No caso dos servidores, é condição para votar integrarem o quadro permanente da Fundação Universidade de Brasília (FUB). Os alunos devem estar regularmente matriculados nos cursos presenciais de graduação ou pós-graduação strictu senso ou nos programas de residência da instituição. O voto é facultativo e secreto.

A apuração dos votos serpa feita pelo COC nesta quinta-feira (1/9). Vence a chapa que obtiver mais de 50% do total de votos. Caso nenhuma delas atinja essa condição, a partir do dia 2 de setembro tem início a campanha com as duas chapas mais votadas, que irão ao segundo turno. A nova consulta ocorrerá, então, nos dias 13 e 14 de setembro.

Após o anúncio do resultado final, os nomes escolhidos pela comunidade para assumir a Reitoria serão encaminhados para homologação no Conselho Universitário (Consuni) em 16 de outubro. Do órgão colegiado, sairá uma lista tríplice a ser enviada para aprovação e nomeação pela Presidência da República.

Confira os perfis dos candidatos:

Chapa 93
Denise Bomtempo
Docente na UnB desde 1994, Denise é professora titular desde 2005, além de pesquisadora 1B do CNPq. Possui graduação em Serviço Social pela Universidade de Brasília (1980), experiência em gestão técnica e administrativa no GDF em planejamento, execução e avaliação de programas sociais (1980-1993). A professora concluiu o doutorado em Ciências Sociais pela Université de Paris I, Panthéon Sorbonne em 1992. Foi coordenadora de Área na CAPES, membro do Conselho Técnico Científico (CTC) da CAPES (Área de Ciências Sociais Aplicadas) e membro do Comitê de Assessoramento de Psicologia e Serviço Social no CNPq. Foi chefe de Departamento, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Política Social, diretora do Instituto de Ciências Humanas, decana de Pesquisa e Pós-Graduação (novembro 2008 a junho de 2012) e decana de Assuntos Comunitários (novembro de 2012 a fevereiro de 2016).

José Manoel Sánchez
Docente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, desde 1986, José Manoel Morales Sánchez é graduado em Engenharia Civil pela UnB (1979) e concluiu o mestrado em Estruturas pela COPPE/UFRJ em 1986, além do doutorado em Estruturas e Construção Civil pela UnB (2003). O professor Sánchez tem diversos anos de experiência em Administração Pública, no Governo do Distrito Federal foi coordenador adjunto das obras do Metrô/DF, em 1996; diretor de Administração do Metrô/DF, em 1997; chefe do Departamento de Manutenção e Operações da Novacap, em 1998; e, membro do Conselho de Administração da Caesb, em 1998. No Ministério da Educação, desempenhou a função de diretor de Programas e Projetos Educacionais do FNDE, em 2004. Na UnB, o professor Sánchez assumiu a Coordenação de Graduação da FAU-UnB, em 1988, tendo sido chefe do Departamento de Arquitetura e vice-diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (1993). Mais recentemente, foi coordenador da Pós-Graduação (2010) e é o atual diretor da FAU, reeleito em 2015.

Chapa 94
Márcia Abrahão
Geóloga, professora e pesquisadora CNPq, Márcia Abrahão exerce desde fevereiro de 2014 o cargo de diretora do Instituto de Geociências, onde também já atuou como vice-diretora, coordenadora de Extensão e coordenadora do curso de graduação em Geologia. Entre 2008 e 2011, destacou-se como gestora pública na função de decana de Ensino de Graduação da Universidade de Brasília (UnB) ao coordenar o Programa de Reestruturação Universitária (Reuni) e liberar junto à União recursos para garantir avanços que até hoje repercutem positivamente no dia a dia dos quatro campi. Sua vida acadêmica está ligada à UnB desde a graduação, ao ingressar no curso de Geologia, concluído em 1986. Em seguida, vieram outras duas conquistas: os títulos de mestrado em 1993 e de doutorado em 1998 — com período sanduíche na Université d'Orleans e BRGM, na França. Em 2004, desenvolveu estágio de pós-doutoramento na Queen´s University do Canadá.

Henrique Huelva
Linguista, professor e pesquisador, Enrique Huelva é diretor do Instituto de Letras desde fevereiro de 2014, após ter atuado como coordenador dos cursos noturnos de Graduação, chefe do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução, vice-diretor do Instituto de Letras e coordenador do Núcleo de Recursos e Estudos Hispânicos. É, também, diretor geral do Instituto Confúcio na UnB. Desde 2002, ministra aulas no curso de graduação em Letras e no Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada. Possui mestrado em Filologia Germânica, Filologia Hispânica e História e doutorado em Linguística pela Universidade de Bielefeld (Alemanha), onde atuou como professor de Filologia Hispânica entre 1997 e 2002. Sua produção acadêmica está relacionada ao estudo do vínculo entre gramática e cognição, dos processos de gramaticalização (especialmente nas línguas românicas) e dos processos de ensino e aprendizagem de línguas.

Chapa 95
Ivan Camargo
Doutor em Engenharia Elétrica pelo Instituto Nacional Politécnico de Grenoble, da França. Desde 1989, é professor do Departamento de Engenharia Elétrica da UnB. Com temas relacionados à energia, já orientou mais de 50 trabalhos acadêmicos. Autor publicado e com mais de 70 artigos científicos na mídia especializada. Possui variadas publicações em jornais e revistas de congressos nacionais e internacionais. Exerceu diversas atividades na esfera acadêmica e científica: chefe de Departamento, vice-diretor da Faculdade de Tecnologia, coordenador de Extensão da FT, representante da FT no Cepe e representante do Cepe no Consuni; além disso, atuou como presidente do Conselho Superior da Finatec. Também foi decano de Ensino de Graduação na UnB na gestão do professor Lauro Morhy. Desde 2012, é reitor da Universidade de Brasília – primeiro ex-aluno a ser eleito reitor da UnB.

Sônia Báo
Doutora em Ciências Biológicas pela UFRJ. Em 1987, ingressou na UnB, onde se tornou professora titular e pesquisadora 1B do CNPq. Possui mais de 250 artigos científicos completos e capítulos de livros publicados; e dois depósitos de patentes. Orientou 23 mestres, 16 doutores e 76 estudantes de Iniciação Científica. Tanto na esfera acadêmica quanto na científica, ocupou os seguintes postos: chefe do Departamento de Genética e Morfologia, tutora do PET/Biologia, coordenadora do PIBIC, coordenadora de Apoio à Pesquisa do DPP, vice-diretora e diretora do Instituto de Ciências Biológicas – em dois mandatos. Desde 2012, é vice-reitora da Universidade de Brasília.

Com informações da UnB Notícias.

publicidade

publicidade