Índios se formam em medicina e homenageiam a cultura indígena na colação

Formados, querem se especializar em medicina de comunidade para melhorar a qualidade de vida das tribos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/12/2016 14:45 / atualizado em 28/12/2016 14:56

Beto Novaes/EM/D.A Press

 

Amaynara Silva Souza e Vazigton Guedes Oliveira, ambos de 27 anos, se formaram no último sábado, 24 de dezembro, na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) de uma forma diferente. Os dois, que são índios pataxó, receberam os diplomas vestidos a caráter, com os rostos pintados, cocar com penas grandes e adereços coloridos. O vestuário é reservado para os dias de festa nas tradições deste povo indígena.


O intuito dos jovens é se especializar em medicina da família e comunidade e retornar os conhecimentos obtidos na universidade para as aldeias indígenas.

 

Cotas

Amaynara é das terras indígenas de Carmésia, no Vale do Rio de Doce em Minas Gerais, e Vazigton é natural de Cumuruxatiba, no Sul da Bahia. Os índios entraram na graduação por meio de um programa da UFMG que integra as ações afirmativas para indígenas.