SIGA O
Correio Braziliense

PÓS-GRADUAÇÃO »

Ministério credencia Academia Nacional de Polícia para oferta de cursos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/02/2017 18:50 / atualizado em 22/02/2017 18:54

 

O Ministério da Educação credenciou a Academia Nacional de Polícia (ANP), vinculada à Polícia Federal, para a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu – modalidades presencial e a distância – e validou os que já foram concluídos. O ato foi assinado pelo ministro Mendonça Filho, nesta quarta-feira, 22, em cerimônia na sede da ANP, em Brasília.

 

Durante a solenidade também foi assinado um instrumento de cooperação técnica entre a Polícia Federal e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com o objetivo de organizar atividades acadêmicas para o desenvolvimento e profissionalização de agentes. Inicialmente, 25 alunos servidores da PF serão enviados a Recife para cursar o mestrado em engenharia da produção, com ênfase em gestão e análise de risco em segurança pública.

 

O ministro Mendonça Filho destacou a importância de iniciativas que visam a contribuir para a consolidação e o fortalecimento da Polícia Federal. “Trata-se de uma instituição de grande credibilidade, que tem cumprido o seu trabalho com eficiência e eficácia”, disse. “A PF não tem partido. O seu partido é o Brasil. É o que ocorre em qualquer nação decente em um regime democrático de direito.”

 

Para o diretor-geral do Departamento de Polícia Federal (DPF), Leandro Daiello, parcerias como as firmadas com o MEC e a UFPE são essenciais à formação dos agentes para os desafios de hoje e de amanhã, para o enfrentamento estratégico do crime organizado. “A nossa instituição é formada por pessoas. Podemos investir em tecnologia, mas de nada adianta sem policiais devidamente preparados.”

 

Segundo Daiello, o objetivo da instituição é expandir as cooperações técnicas com outras universidades federais. Elas já estão sendo negociadas, por exemplo, com as universidades de Brasília (UnB) e de Santa Catarina (UFSC). O reitor da UFPE, Anísio Brasileiro, também defende a participação de todas as 63 universidades federais em acordos como o firmado com a PF, que resultam “em um aprendizado mútuo e desse intercâmbio o Brasil só se fortalece”.

 

 

 

Portal MEC